Pages

0

Tá chegando povo... 3ª Moda Intima Ceará



A Moda Íntima Ceará (MIC), um dos principais eventos do segmento no cenário nacional, chega à terceira edição. Além dos desfiles de 12 grifes, as novidades de marcas de destaque no cenário nacional poderão ser conferidas em 90 estandes, nos dias 7, 8 e 9 de junho no Centro de Convenções Edson Queiroz (CE).

A feira traz uma novidade em 2009: a primeira rodada de negócios da MIC. Em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), a Associação de Moda Íntima do Ceará (AMIC) trará cerca de 50 compradores do Brasil e do exterior que participarão da programação paralela. Desde a primeira edição (em 2007), o evento dirigido pela Equipe de Produção, de Cláudio Silveira, recebeu mais de 15 mil expectadores.

“A mudança de comportamento do público consumidor de lingerie, mais exigente, que busca produtos que satisfaçam em qualidade, sem deixar de lado sua auto-estima, saúde e bem estar, somada com a quebra de paradigmas da sociedade, impulsionou de forma exponencial o mercado de moda íntima no Brasil. A realização da MIC fez com que o estado do Ceará se consolidasse como um dos maiores pólos de moda íntima do país”, explica o gestor administrativo da AMIC, Pablo Domingos.

Sobre a AMIC

A AMIC foi criada em outubro de 2005 e reúne 25 empresas cearenses que constantemente discutem o futuro do mercado e trocam idéias e experiências. A associação ainda capacita funcionários e associados, além de auxiliar no processo de exportação dos produtos.

A importância econômica da moda íntima no Ceará pode ser compreendida pelos números. Atualmente são mais de 2 mil indústrias locais, mais de 80 mil empregos e cerca de 15 milhões de peças produzidas por ano, o que justifica o público de mais de 15 mil visitantes nas edições anteriores da MIC. Somente em 2008, participaram da feira mais de 40 fabricantes, compradores nacionais e internacionais e foram gerados R$ 8 milhões em negócios.




Fonte:http://www.modaintimaceara.com.br/

obs: ah.. quem quiser participar tem que fazer um cadastro no site viu, bem simples. Eu já fiz o meu.Tô é lah! Bora povo!
Abraços!
0

PAPEL DA INTERNET NA COMUNICAÇÃO HUMANA



O século vinte e um vem sendo marcado por uma serie de evento tecno-cientificos que geram dubiedade em nosso meio. Temos, como exemplo desses, a Internet, um dos meios de comunicação mais rápidos dos nossos tempos. Há quem defenda o uso de tal recurso, afirmando ser esse um minimizador das distâncias, outros alegam que a Internet distancia as pessoas, à medida que despersonaliza as relações humanas.
Quase tudo o que uma pessoa busca pode ser encontrado nos diversos sites existentes nessa rede mundial. Dessa forma, há páginas referentes à compra e venda de produtos de várias ordens, a pesquisas escolares, à páginas de relacionamento, dentre tantas outras. Essas últimas chamam atenção pelo grande número de adeptos em todo o mundo. Pessoas quem moram no Brasil, por exemplo, podem comunicar-se com outras habitantes de cidades do Japão em poucos segundos, trocando informações e estreitando laços familiares e fraternais.



Porém, existem pessoas que esquecem sua vida social para viver
comunicando-se com indivíduos imaginários, ou melhor, reais, mas que existem somente virtualmente, pois muitas pessoas inventam nomes e informações sobre local de moradia, idade, gostos e interesses, fazendo outras acreditarem em suas palavras, criando-se uma amizade, ou até mesmo, namoros, que, às vezes, não passam da tela do computador. Isso gera um conflito muito grande entre os nossos jovens, que se esquecem de suas vidas e passam a viver inteiramente em função desse meio de comunicação. Costumes do passado, como brincar na rua, correr, soltar pipa e as brincadeiras de roda, estão sendo esquecidos, acabando com um patrimônio cultural riquíssimo que fizeram parte da juventude de nossos pais e avós.
Em suma, vemos um conflito muito grande em nossos dias. Por um lado, a redução das distâncias e da saudade trazida por essa faz um grande número de indivíduos apropriarem-se da Internet como um meio seguro de comunicação. De outro, vemos nossas heranças culturais, retomadas nas antigas brincadeiras, serem esquecidas por nossos jovens, ou melhor, esses não têm nem condições de conhecê-las devido à rapidez como esse meio invade nossos lares. Cabe aos pais verem as reais necessidades dos seus filhos, autorizando-os a utilizá-lo em momentos realmente necessários, tais como em pesquisas escolares e elaboração de trabalhos. Isso também não quer dizer que os jovens não podem acessar sites de relacionamento. Podem sim, sendo o tempo de acesso, bem como as pessoas com que estão relacionando-se, sempre verificado por seus responsáveis.

Pedrin Oliveira!

Década de 20... A era do Jazz... Adoro!



A década de 20 tornou-se conhecida como a Era do Jazz, isso porque foi animada pelo som das bandas de jazz e pelo charme das melindrosas, mulheres modernas da época . Esse período é composto de prosperidade e liberdade.
As mulheres baseavam-se nos trajes das atrizes famosas, como Glória Swansin, Mary Pickford , Josephine Baker cantora e dançarina que provocava alvoroço em suas apresentações usando sempre trajes ousados para época. Nos anos 20 as silhuetas eram tubulares , as mulheres ficam livres dos espartilhos , usados até o final do século 19, os vestidos tornam-se mais curtos , leves e elegantes geralmente produzidos em seda, deixando braços e costas á mostra. As meias possuíam tons de bege , o que sugeria pernas nuas, o chapéu é fica sendo utilizado apenas no período diurno, o modelo mais popular era o “cloche”, enterrado até os olhos , que só podia ser usado com Cabelos curtíssimos, a “La garçonne”, como era chamado.
A mulher sensual era aquela que não possuía curvas definidas, seios e quadris pequenos e a atenção estava toda voltada para os tornozelos. A década de 20 foi marcada por diversos acontecimentos mundiais que de certa forma influenciaram direta ou indiretamente a moda nesse período.
Em 16 de janeiro de 1920 , os Estados Unidos , estendem “Lei Seca”, que proibia a venda de bebidas alcoólicas em todo o pais . Depois de 81 anos de luta as mulheres americanas conquistaram o direito de voto, nesse ano também realizaram –se as primeiras transmissões públicas e regulares de rádio nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha.
Inicia-se o ano de 1921, Rodolfo Valentino volta ao cinema com o filme “O Sheik”. A mulher moderna troca o corpete por um visual mãos audacioso, o tamanho das roupas intimas diminui , mas sua importância aumenta. As mulheres que trabalham fora gastam metade do salário em ligeries, nos Estados Unidos 8 milhões de mulheres trabalham fora de casa.È lançado o perfume “Chanel nº 5” , ainda hoje um dos mais vendidos no mundo e o primeiro que se afirma claramente como uma fragrância artificial.
Em 1922, esse ano marca a história da literatura mundial por suas criativas e inovadoras produções literárias. Outubro desse ano Mussolini chega ao poder na Itália e em novembro, os arqueólogos lorde Carvanon e Howard Carter encontram a tumba do faraó Tutankhamon.
Em 1923, “Contos da Era do Jazz”, uma coletânea de contos do escritor Scott Fritzgerald,é o sucesso literario do momento, Bessie Smith, cantora negra de blues , grava seu primeiro disco.Em abril nos Estados Unidos , a febre da dança se alastra por todo o pais, é época dos campeonatos e maratonas dançantes.
Inicia 1924. Com estréia de “Rapsody in Blue” a fusão da industria do cinema norte americano, novembro desse ano é marcado pela eleição da primeira mulher para governadora do Texas .
Em 1925, Chaplin transforma sapato em comida no filme “Em Busca do Ouro”, considerado seu filme mais elaborado. Nessa época, a dança Charleton, criada na Carolina do Sul, nos EUA, é a grande sensação nos bailes. 31de maio a exposição “Artes Decorativas” é o evento artístico mais importante do período pós - guerra. A expressão “art déco” já começa a ser utilizada amplamente.Em outubro a cantora e dançarina Josephine Backer provoca alvoroço com a sua apresentação no Teatro Champs-Elysées em Paris.Novembro os surrealistas Pablo Picasso e Joan Mirò mostram seus trabalhos em Paris.
O inventor escocês John L. Baird apresenta uma nova máquina capaz de transmitir imagens em movimento sem utilizar fios em janeiro de 1926 é o passo inicial para o que viria a ser a televisão. Os norte- americanos ficam encantados com a atriz do filme “Tentação” , Greta Garbo. Nesse mesmo ano nasce o chamado “pretinho básico”, quando a revista norte americana “Vogue” publica a ilustração de um modelo desenhado pela francesa Coco Chanel- primeiro entre os vários que a triz iria produzir ao longo de sua carreira, 1927, a mulher moderna pede liberdade de movimentos e a moda parisiense já mostra as novas roupas que reduzem os bustiês e estreitam os quadris. A silhueta esbelta faz com que as mulheres fiquem cada vez mais parecidas com os rapazes, o que é acentuado com o novo corte de cabelo “La garçonne”, ainda mais curto que os já usados. A simplicidade é a marca do estilo. Em 6 de outubro estréia em Nova York , o primeiro filme falado da história cinematográfica.
Em 1928, o governo dos Estados Unidos enfrenta um grave problema de desemprego. Avalia-se que , em junho , cerca de 4 milhões de pessoas estão sem emprego no país.
Coco Chanel é a síntese da nova mulher dos anos 20, ela alcança o auge do sucesso no mundo da moda no ano de 1929 . Esse final de década é marcado pela quebra da Bolsa de Valores de Nova York , provocando a perda de milhões de dólares.



A MODA NO BRASIL NA DÉCADA DE 20
Com a riqueza dos produtores de café, seus filhos puderam estudar na Europa, entrando em contato com as correntes modernistas em pleno fervor intelectual e artístico. Esses jovens foram influenciados a questionar a arte e os valores da época, apregoando um primeiro movimento nacionalista no país, que valorizava a cultura autóctone e refletia sobre o que seria uma identidade brasileira. O ápice desse movimento resultou na Semana de Arte Moderna realizada no ano de 1922, data em que o país comemorava o Centenário da Independência.
Apesar dos movimentos culturais em busca das raízes brasileiras, a moda segue o que dita a França, a despeito do clima e das diferenças de estação. Como exemplo, temos a própria Tarcila do Amaral que casa usando um vestido do estilista francês Paul Poiret.
No âmbito da moda surge a melindrosa, criada pelo caricaturista J. Carlos. Símbolo da mulher brasileira da época, já indicava um rumo para a sensualidade, traço que figura entre os principais da moda brasileira atual.
Em 1927 foi realizado no Mappin Stores (loja direcionada para a elite paulistana que se destacava por vender basicamente mercadorias importadas) o primeiro desfile de moda numa loja da cidade, passando seus desfiles a ser reprisados duas vezes ao ano, uma no inverno e outra no verão.
Em 1929 acontece a quebra da bolsa de Nova York, o que ocasiona a quebra do império do café no Brasil. Entretanto, para a moda, o final dessa década reserva um acontecimento marcante: surge o primeiro nome da moda nacional – Mena Fiala, nascida em Petrópolis e criadora talentosa de vestidos de noiva, que se consolidou no Rio de Janeiro ao longo da década de 30.
Como podemos perceber a moda no Brasil, neste período, era ditada pelas tendências européias, e apenas a classe dominante tinha o privilegio de consumi-las. E somente com o fim do poderio da classe dominante é que surgem novos rumos para o ramo da moda. A primeira estilista de renome é Mena Fiala que trabalha com vestidos de noiva e esta vai agora produzir peças para a nova elite brasileira.

OS ESTILISTAS DE DÉCADA DE 20


Gabrielle Coco Chanel
A década de vinte os grandes estilistas eram mulheres, como madame Paquin, Madeleine Vionnete, mais a que mais se destacou sem a menor sombra de duvida foi Gabrielle Coco Chanel. Nascida em Saumur, na França, Chanel mudou-se para Paris aos 16 anos iniciando sua vida profissional em uma loja de chapéus. Chanel teve uma vida rodeada de pessoas ilustres, Como Pablo Picasso e Salvador Dali e de amantes.
Chanel libertou a mulher das roupas desconfortáveis, cheias de faixas, cintas e corpetes apertados ela introduziu na alta-costura o jérsei de malha, os trajes de tecidos xadrez e a moda escocesa, com blusas de malha fina, as calças boca-de-sino, as jaquetas curtas e os casacos cruzados na frente e acinturados em estilo militar.Para a noite, vestidos em negro metálico, vermelho escarlate ou bege. Laços e paetês eram os únicos enfeites e não impediam que as mulheres se movimentassem com rapidez, como pedia a estética de um século onde tudo se tornava automatizado.
Ela também introduziu na sociedade da moda o bronzeado, fazendo surgi os primeiros trajes de banho em que as costas ficavam praticamente toda a amostra. Chanel só encontrou concorrência em Elsa Schiparelli.


Elsa Schiaparell
Elsa Schiaparell nasceu em Roma na Itália. Ao contrario de Chanel, que criava roupas funcionais, ela criava coisas exóticas e surrealista, chegando inclusive a trabalhar com Salvador Dali. Sempre utilizando bordados e cores fortes. Ela inovou nos materiais utilizados em suas roupas, como o zíper o crepe de seda e o celofane. Todos esses novos materiais, como a fibra sintética, possibilitaram que Elsa executasse todos os seus sonhos surrealistas.


Jean Patou
Outro nome importante foi Jean Patou, estilista francês que se destacou na linha "sportswear", criando coleções inteiras para a estrela do tênis Suzanne Lenglen, que as usava dentro e fora das quadras. Suas roupas de banho também revolucionaram a moda praia.
Patou também criava roupas para atrizes famosas.

Parte do trabalho desenvolvido na disciplina de Têsteis e Vestuário - UFC
Componentes: Eliz Braga, Jani Queiroz, Luci Tavares e, lógico, YO!
0

Campanha para ajudar vitimas das chuvas no Ceará

Pessoal, recebi, agora a pouco, um e-mail contendo informações da camapanha que estão organizando para dá auxilio as pessoas que estão desabrigadas, devido as enchentes aqui no Ceará.
Bora participar povo!

2

O que é que Fortaleza tem...



Pessoas, hoje cheguei do interior meio que intediado (com vontade de ficar na casinha da mamãe) e num sabia o que fizesse pra animar a noite. Estava planejando de ir pra casa de amigos, comer alguma coisa, falar besteira, voltar pra casa, enfim.... tédio!
Resolvemos, então, ir dar uma volta, mas não tinhamos destino certo.
Pensamos no Centro DRagão Do Mar de Arte e Cultura, mas desistimos. Outra amiga nos conviou para irmos a feirinha de artesanato da Beira-Mar. Aceitamos o convite e fomos nessa.

Pessoas, eu ainda não tinha tido o prazer de conhecer aquele local. Eu simplesmente adorei. É tanta riqueza de artesanato, tanta modinha típica aqui do nosso estado que dá gosto de ver. Ninguém se aguenta, temos que levar pelo menos uma besteirinha de lá.

Sem falar que as barraquinhas de roupas são todas atualizadas com o mundo fashion. Todas tem um estoque de roupas que seguem as tendências mostradas nas grandes lojas aqui da cidade, mas com um preço super acessível (minha amiga se fez.. kkkkk.
Vimos muitos vestidos com estampas de oncinha, zembrinha, etc. sendo que muitos acessórios (bolsas, colcares, brincos, chápeus...) também possuem estampas parecidas. Como não poderia deixar de ser, vimos muitas camisas estilo bata, com estampas indianas (o que é que a novela da Plin Plin faz com o povo... kkkk.

Fora modinha, conseguimos encontrar a marca do artesanato cearence em várias outras peças na feirinha. Artigos de cama, mesa e banho trazem bordados, crochês, rendas e muito mais. Além disso, ainda podemos saborear um bom prato da nossa culinária (hunnn... delícia.. kkkk).

Pois é isso pessoas. Tah desanimado, sem nada pra fazer em casa? Dê uma passadinha em umas dessas feiras de artesanato existentes em nossa cidade. Você não vai se arrepender... é Mara! As principais que eu conheço são: feirinha em frente a Catedral Metropolitana de Fortaleza, a Ferinha do Dragão do MAr e a outra que fica na Beira-Mar.

Aproveitem o que Fortaleza de sobra: Cultura!


Foto (Fonte): http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=407107

PUBLICIDADE, PROPAGADA E CONSUMO


Em nossa sociedade, consumir, além da compra por necessidade propriamente dita, ganhou uma serie de implicações. A compra tornou-se, principalmente, o fato de adquirir algo que vai trazer-lhe felicidade e vai proporcionar, ao “consumidor”, uma inserção na sociedade. Os produtos acabam por carregar consigo um valor simbólico muito grande. Dessa forma, o individuo possuindo alguns desses produtos vai a passar a ser visto dentro da sociedade: o fato de ter sobrepõe a questão do ser (LYRA, 2008).
Vivemos em uma sociedade conhecida como “fast-society”, onde os produtos só duram o tempo necessário para que outras mercadorias apareçam e venha satisfazer as vontades do individuo. Uma prova marcante disso é a utilização de celulares, que, a cada dia mais, cresce, conseguindo alcançar até as camadas mais populares de nossa sociedade. E, ainda em relação aos aparelhos telefônico portáteis, podemos observar a constate atividade do mercado em busca de oferecer celulares melhores e mais sofisticados. O consumidor, atraído pela sua beleza e, principalmente, pelo seu valor simbólico é instigado a trocar de aparelho com pouco tempo de utilização (CONSUMO E CIDADANIA, 2008).
Outra característica bastante marcante de nossa sociedade de consumo é um processo de destruição dos sujeitos, sendo que ocorre uma maior valorização dos objetos. É bastante comum a pessoa viver cercado de vários objetos da moda, esquecendo-se de manter relações com outros indivíduos, podendo ser o consumo considerado como um dos fatores que auxiliam no “isolamento e a separação entre as pessoas” (LYRA, 2008).
Contribuindo nesse contexto, a mídia exerce hoje grande influencia nas escolhas do consumidor. Através de campanhas publicitárias esse meio de comunicação acaba por formar ou moldar o comportamento da nossa sociedade pós-moderna (CONSUMO E CIDADANIA, 2008).
A mídia, através da publicidade, é um dos fatores mais importantes na determinação do comportamento dos indivíduos quanto ao consumo. A todo tempo ela ‘induz’ as necessidades, mas, na maior parte dos casos, o faz considerando o conjunto da realidade econômica e cultural. Os anúncios publicitários terão maior ou menor sucesso comercial a partir do nível de suas correspondências com o entorno social (LYRA, 2008).
A televisão, presente em mais de 40 milhões de lares hoje no Brasil, representa um meio de fundamental importância para os publicitários para transmitir campanhas divulgando produtos e serviços. Esse meio de comunicação em massa é visto de duas formas por vários teóricos: de um lado tem-se a TV como um meio de distração, por outro ver-se a mesma como alienadora, contribuindo para a banalização de temas importantes na sociedade. Nesse contexto, a televisão serviria como uma modificadora de necessidades e desejos dos telespectadores (INMETRO&IDEC, 2002).
Porém,as necessidades criadas através da publicidade representam, primeiramente, os interesses econômicos das grandes empresas. Secundariamente, baseiam-se nos possíveis sonhos das mais diversas naturezas do chamado público alvo. A exploração do desejo sexual é recorrente, no desejo de vender produtos tão diversos como refrigerantes ou automóveis (LYRA, 2008).
Segundo Lyra (2008), citando Baudrillard, a publicidade atuaria diretamente nos desejos e anseios de grupos sócio-culturais, sendo, dessa forma, consumida antes de ser dirigida ao processo de consumo. De acordo ainda com a autora, existe hoje discursos publicitários que estão relacionados a criação de ícones de desejo na população. Pode-se citar três desses ícones na atualidade, a saber: telefone celular, automóvel e casa própria, sendo que a maioria das propagandas divulgadas na TV estão relacionadas a eles.
Um outro fato a ser destacado é separação da publicidade direcionada a grupos e a classes sociais. Hoje, grandes vitimas dessa publicidade, e principalmente a enganosa, são as crianças, sendo que essas são muito vulneráveis à publicidade, não tendo capacidade de discerni entre informações corretas e falsas. Produtos alimentícios e brinquedos são divulgados a todo momento prometendo funções e qualidades inexistentes. Porém, não são somente as crianças que são alvos dessa mídia alienadora. Os jovens são explorados diariamente por essa publicidade, sendo que essa tenta criar para esses estilos de vida e identidades, fazendo com que o jovem sinta-se bem, participando de um grupo especifico (INMETRO&IDEC, 2002).
Os adultos também são bombardeados diariamente por essa publicidade. Porém, como não poderia deixar de ser, existe uma linguagem diferente. Ver-se muito atualmente a luta pelo corpo perfeito. Homens e mulheres vivem em busca de alimentos, remédios, cosméticos, etc. que venham proporcionar um corpo bonito. Nesse contexto, vale ressaltar a banalização do corpo por essa mídia (LYRA, 2008).
Classificados conforme o sexo, a faixa etária e, sobretudo, a faixa de renda, homens e mulheres são alvo de anúncios que procuram explorar seus anseios e frustrações, induzindo esse público a suprir, por meio do consumo, suas necessidades de realização pessoal (INMETRO&IDEC, 2002).
Em suma, a evolução do marketing, da publicidade e da propagando em nosso meio está diretamente ligada à forma de consumir existente hoje em nossa sociedade.
Cabe a nós, diante do que foi exposto, rever nossos conceitos e saber distinguir o que existe de bom e ruim na nossa mídia atual, não a deixando entrar em nossos lares e orientar nossa forma de agir, pensar e consumir.


Pedrin Oliveira!

Acessório do Momento: Guarda-Chuva!

Galera, ontem durante minha ida a faculdade, comecei a prestar atenção nesse acessório que está totalmente "in" em nossos dias. O guarda chuva toma conta de nossas ruas. E, imagine só ai, se não fosse esse objeto, para nos salvar nessas chuvas? Nemmmm, não me vejo sem um.
E vcs já prestaram atenção na variedade que cores e, até mesmo, modelos de guarda-chuva que existe hj? A utilização de uma dessas formas também reflete no gosto e na personalidade de seus usuários, assim como vários outros objetos.
Tem modelos, estampados, lisos, com detalhes, grandes, pequenos, portáteis (igual o meu, que só cabe, praticamente minha mochila em baixo.. kkk, enfim.... uma variedade enorme.

E já que a onde agora é abusar das estampam "animalescas", tah ai alguns modelos interessantes... kkkkkk





Aproveitem esse peíodo chuvoso e saiam as ruas mostrando o que se pode ser fashion até debaixo d'água!.. kkkkk Só não vale ficar molhado!
Bye!

Fontos (Fonte): http://www.flickr.com/photos/gabinetedecuriosidades/3297695812/in/set-72157613345779330/
2

Norte e Nordestes.... o sertão vai virar mar!


Pessoal, não sei se vcs tem acompanhado as calamidades que estão acontecendo em todo o Norte e Nordeste devido as fortes chuvas, causadas pelo fenomeno meteriológico "La niña", que se instalou sobre nós e não quer mais ir embora.. (kkk)
Não, sério galera agora. Nas constantes conversas que estou tento com a galera, vejo a a opnião é a mesma: cadê a ajuda humanitária as pessoas atingidas pelas chuvas aki na nossa região?
A pouco tempo atrás, quando das enchentes do Sul, houve uma grande campanha, massificada pela mídia, em prol das famílias que estavam desabrigadas. A Rede Record, fez uma campanha belíssima durante sua programação.
E nós?
Ontem, enquanto viu o Jornal, vi que só agora estão se articulando para o recebimento de doações. Pq só agora, já que há algumas semanas esse problema abala nossa região? SErá que ainda prevalece, até nessas hrs, um preconceito em relação a nós desse ladim do Brasil?
Odiei ontem quando ouvi uma jornalista, de uma TV de circulação nacional e internacional, chamando-nos de alguma coisa tipo Mazelados. Em nenhum momento vi esse palavreada diante dos problemas ocorridos anteriormente do Sul. E, só para lembra, o Sul agora tmb enfrenta um grave problema: a falta de água está deixando várias famílias em um estado de precariedade terrível.

Vamos aprender a lidar de forma equitativa todo o noso povo, fazemos parte de uma mesma nação!

Abraços!
4

Fotografia de moda, noções de mercado

Pessoal, tava vendo aki uns sites e achei uma materia super legal sobre foografia de moda, escrita para o site do Profissão Moda, Pelo humberto Piro..

lah vai...

Fotografia de moda, noções de mercado



A fotografia de moda como em outras áreas apresenta características próprias. Um ramo específico para duas áreas que tratam da imagem, tanto a arte de retratar como a arte das facetas do efêmero compõem igualmente uma síntese da forma de fazer o registro de um estilo. A produção de moda é realizada por uma série de profissionais, entre eles o maquiador, o assistente de produção, o produtor e, é claro, o fotógrafo de moda – aquele que registra as imagens do estilo direcionado pelo produtor, eternizando a passagem daquele momento para abrilhantar a moda de uma época. Em Fortaleza, profissionais vem se destacando com seu trabalho e em entrevista ao Profissão Moda discutem alguns pontos relevantes sobre o mercado para essa área.

Ao perguntar à Roberta Braga sobre o mercado, responde que percebe um crescimento sim, acredita que a demanda é “suficiente para todos que desenvolvem competência no seu trabalho. A fotografia de moda, bem como outras áreas, tem uma linguagem própria, não basta apenas entender sobre fotografia, é necessário entender o que faz moda, o que é moda, mas é necessário ter feeling específico para as outras áreas de atuação da fotografia. O que percebo é que faltam algumas das qualidades de fotógrafo nos iniciantes; não basta apenas comprar uma câmera digital, aprender a usá-la e considerar-se fotógrafo, acho que é importante conhecer todos os passos de uma verdadeira fotografia. Penso que o desafio é descobrir a excelência no trabalho e cobrar de acordo com isso, para que o cliente tenha opção de escolha baseada em diferenciais e estilos e não apenas em valores [dinheiro].”

Nicolas Gondim, que já expôs seus trabalhos em São Paulo, pensa de forma otismista sobre empresas de confecção que aceitam o seu trabalho: “hoje a maioria delas já sabe da importância da imagem.”

Leila Motta, trabalhando sempre com os produtores de moda de grandes confecções no Ceará percebe que definir o estilo profissional é de suma importância para a formação básica do fotógrafo.

Sempre desenvolvendo trabalhos mais conceituais, Haroldo Sabóia sabe dos custos que a fotografia apresenta e para o iniciante o mercado é “muito competitivo, os equipamentos são caros, precisa fazer um investimento, precisa ter um capital inicial.” Nicolas também pensa da mesma forma: “ter bons equipamentos, ter um estúdio, aprender a fazer uma boa luz e fidelizar um cliente. Acredito que tem muita gente bacana se iniciando no mercado, mas tem que aprender a cobrar, pois nosso serviço dá bastante retorno.”

A Terra da Luz tem mostrado que brilha não só pela liberdade, mas agora também, destacando-se pela presença de uma profissão que apresenta determinado valor para a caracterização de um estilo.

Humberto Piro

fonte: http://www.profissaomoda.com.br/?acao=noticias&subacao=ler&id=2033
2



Um outro xodó que adoro feito durante minhas férias de dezembro... num tinha nada pra fazer. Ai pensei, eu tenho lápis, PC e, eh lógico, Photoshop. Entonces... foi só deixar as idéias rolarem.
Ah.. vale salientar... foi o auge do meu amor pelas músicas da Amy... oh mulher pra se garantir.. adoro demais...!
3

Pences e drapeados!




Inacabada!!!

mas dorei!
0

My Baby!



Pensamentos que beiram ao incognito. Adoro!
0

Masi Dicas... Maquiagem!



Olhos bem marcados, com sombra em tons de roxo, e rosto com aparência saudável, sem pecar nos exageros. A tendência de maquiagem para a temporada outono-inverno deixa de lado o excesso de brilhos. O look tende para o natural, mas também há espaço para brincar com as cores, desde que caiam bem para o seu tom de pele.

Marcos Costa, maquiador oficial da Natura, acredita que a estação será marcada pelos contrastes. Ele aponta como destaque a boca em uva profundo, que combina com os vários tons de pele. Para os olhos, que vêm mais carregados com lápis e sombra, tons de laranja, lilás e bege. "Pode misturar cores quentes com cores frias e criar, sem ficar na sobriedade." O iluminador está liberado e não pode faltar a base, que pode ser no tom exato da pele ou bronzeadora, para dar viço.

O maquiador Wilson Eliodório divide, com a Mary Kay, a tendência em três estilos: casual, festa e fashion. O primeiro remete ao natural, suave, com cara de inverno e boca destacada em rosa. O segundo traz a pele em um tom mais bronzeado, casado com olhos em que há bastante rímel e delineador. O terceiro aposta nas cores para o olhar, como verde escuro e cinza, e boca mais discreta, neutra. "É um inverno de muitas opções, que se refletem também na beleza."




Nesta temporada, para a boca, Eliodório aposta nos tons laranja, rosa e uva, além do tom natural, cor de boca. Nos olhos, verde, azul, laranja e lilás. Nas bochechas, os blushes podem ser rosáceos ou amarronzados.

Para a maquiadora-sênior da M.A.C Cosmetics, Melissa Gibson, os looks Britney Spears, com olhos superpretos, ou Jennifer Lopez, ultradourados, estão em baixa. Ela considera o lavanda o novo curinga, mas afirma: é preciso saber o que cai bem para seu tom de pele. "O ideal é consultar um especialista na loja, que vai saber o que fica melhor. Você pode sentir-se mais iluminada com coisas que não são tão brilhantes e que fazem com que você sinta-se bem."

Em tempos de crise, Melissa considera que a nécessaire deve ter base, corretivo, blush, gloss e lápis para olhos, além da sombra, que deve ser trocada uma vez por ano.

Por Andressa Zanandrea

fonte: http://br.noticias.yahoo.com/s/07052009/25/entretenimento-maquiagem-outono-inverno-realca-natural.html
0

Toy Art (Amu demais.....)




TOY ART (por Por BruNêra)


Se tem uma coisa que os japoneses sabem fazer muito bem é criar bons motivos para você gastar todo o seu suado dinheirinho, tudo que é inventado naquelas bandas acaba invariavelmente se ramificando para mangás, animes, cosplays, roupas, travesseiros, jogos, filmes, livros e acessórios sexuais. De todas essa parafernália indispensável e extremamente inútil algo me atrai como uma colegial de saia curta atrai um tarado. Estou falando dos Toy art.




Em 1998 um artista chamado Michael Lau decidiu que seus antigos bonecos Falcon que estavam largados no fundo da gaveta deveriam servir pra alguma coisa. Com isso em mente ele começou customiza-los com correntes, roupas e pinturas dando um estilo Hip Hop pros bonecos cabeludos. Em sua primeira exposição eles causaram furor criando assim a emergente forma de arte que hoje nós conhecemos como Toy Art. Michael Lau criou 101 bonecos customizados e hoje eles valem fortunas nas mãos dos colecionadores mais ferrenhos.




Os Toys podem ser definidos como pinturas em três dimensões. Não os chamaria de esculturas pois eles normalmente representam uma forma de arte mais contemporânea, urbana, pop, indie ou qualquer outro nome cult que vocês quiserem dar. Quando se pensa em esculturas normalmente nos vêm a mente imagens mais acadêmicas como o famoso David de Michelangelo ou algo do estilo. Se eu tivesse que nomear um equivalente as esculturas na nossa adorada cultura pop definitivamente seriam as Action Figures.

Os Toys são mais descontraídos, mais psicodélicos e representam a Pop Culture em todas as suas facetas. Eles podem ser inspirados em filmes, HQs, livros, graffite, games ou simplesmente converter em três dimensões o traço de algum artista 2D, as possibilidades são infinitas, tanto que alguns Toys totalmente em branco são vendidos para que você possa pintar o seu próprio toy exclusivo com seu traço e estilo.

Assim como as Action Figures, os Toys também podem ser colecionados e comercializados nas mais variadas formas, desde a venda simples toma lá da cá, até as chamadas Blind Box, elas são caixas fechadas que cada estúdio vende por um preço único, quem compra não sabe o que tem dentro e tem que contar com a sorte pois dentro pode vir um boneco raro e muito valioso, ou um boneco comum e as vezes até repetido dependendo da coleção do comprador.




Além do mitológico Michael Lau existem hoje dezenas de estúdios famosos por todo o mundo, dentre os estúdios japoneses se destacam o Bounty Hunter, Medicom e Secret Base, aqui nesse link tem mais uma porrada de links para outros estúdios legais, por enquanto fiquem com essas galeria ai em cima como aperitivo.



Fonte: http://www.nerdssomosnozes.com/2009/05/nipost-04-toy-art.html
0

Dica Para as Gavidissímas....







Vi essa materia hj e achei bem legal tah postando aqui para vocês.... principalmente para minha miguxa Marliene...


Grávida e linda
Confira os looks para você arrasar em qualquer ocasiãoPor Luana Martins • 25/04/2009


Que as mulheres são vaidosas, todos sabem. Na gravidez, há um motivo a mais para se sentirem lindas: o barrigão. Isso sem contar os cabelos que ficam mais sedosos, o busto que dá aquela "turbinada", tudo de forma natural. Para completar o sentimento de plenitude, a moda se atualizou e trouxe um montão de modelitos modernos, elegantes, lindíssimos (de botar inveja em qualquer uma) para as futuras mamães. É ou não é para ficar em estado de graça?
0

Tendências (Verão 2010)

Pessoal..
tudo blz?

O pessoal da Biro Brasil divulgou, há algum tempinho, um video muito legal sobre as tendências para o verão 2010. Muito bom mesmo. Eles dividiram a estação em três temas básicos: Global Tend, Safari Chick e A Santa e a Louca.
Vale a pena dá uma expiadinha... quem sabe neh ajuda vc ai no seu processo criativo..




tÉ MAIS PESSOAS!!!!
0

Só mais uma coisinha sobre o Dragão...

Pessoas... desculpa ai pela demora em postar esse video

Esse foi o meu desfile preferido nessa edição do Dragão Fashion Brasil.





Encerrando o Dragão Fashion com chave de ouro (de diamante, platina, prata, etc.), o estilista Samuel Cirnansck trouxe para o público um luxo inigualável. Peças que lembravam o balé e o mundo russo deixaram os espectadores boquiabertos. Destaque para a silhueta de algumas peças que retomavam a glamurosa década de Chanel, os anos 20. Algumas roupas também lembravam as vestimentas dos soldados russos antigos. A cartela de cores foi um luxo só: pérola, cereja, preto, dourado e verde. Os tecidos nem se fala: lã, tafetá, veludo, seda, organza, tule, etc. Destaque para o Make up das modelos (bocas marcadas, bem marcadas, contrastando com a pele limpa e branca). A leveza dos volumes de Cirnansck deixou-nos altamente surpresos. O que era aquela trilha sonora? Meu Deus.. perfetc. Não sei.. esse desfile meio que me lembrou umas das últimas apresentações da Dior, na Semana de Moda de Paris (leveza de volumes, riqueza de tecidos, transparências chicks, enfim.... adorei!
Back to Top