Pages

Macharada Antenada & Agora mexe, agora mexe, mexe, mexe, mexe...#3

Pessoas queridas do meu coração, por conta da correria que foi o Dragão Fashion, eu deixei de postar algumas coluninhas semanais, não sei se vocês perceberam. Pois é, mas como a semana ainda não acabou e hoje é dia de farra resolvi unir duas colunas em um post só.
Que tal ir pra baladinha (mexer, mexer, mexer....) com uma roupinhas descolada nessa sexta-feira, último dia do mês de abril, que, por sinal, quase não teve fim??!
Entonces, seguem dois look, criados no Grupo de Estudo de Personal Stylist e que são completamente diferentes.

O primeiro tem uma cara mais clean, mas não deixa de ser descolado. A proposta básica desse é usar roupas com aspecto mais relacionado a natureza e essa onda recycle que toma conta das nossas ruas.


Já o segundo é para pessoas que não tem medo de investir num look mais carregado, mais colorido e alegre. Ele foi pensado tentando unir a tendência rock contemporânea com o velho e bom rock dos anos 50.

E para animar a sexta-feira e já dá aquela aquecida para o que vem por ai mais tarde, eu proponho que vocês dêem uma escutada no som da Ellie Golding, minha diva, minha inspiração e a razão da minha felicidade nas topiques e ônibus lotados durante a semana.
Ela é inglesa, tem 23 anos e o seu som passa pelioindie pop, eletro, synthpop e folktronica. Além de cantar, ela compõe e toca guitarra, piano e bateria belíssimamente.





Gostaram?? Joga ela no youtube ou, se preferirem, baixem AQUI um cd com muitas músicas dela.
Outra dicazinha' é o novo clipe da Christina Aguilera que acabou de ser divulgado e, mesmo cheio de criticas, é bem legal (pelo menos eu achei)

Christina Aguilera // Not Myself Tonight from Musix Play on Vimeo.



Abraços e Bom final de semana!

Fonte: Wikipédia / 4Shared / RGVogue
0

Vogue Japão Com Brasilidades'

Olha que editorial lindo que eu achei aqui na minha busca diária de noticias pro M&P. As tops tops tops Raquel Zimmermann e Carol Trentine dando o ar da graça da Vogue japonesa de junho, clicadas por Ellen von Unwerth.










E, para completar o post, olhem a capa da Vogue brasileira do mês de maio, trazendo as divas Caroline Ribeiro, Isabeli Fontana, Caroline Trentini, Gracie Carvalho, Fernanda Tavares, Aline Weber, Izabel Goulart, Ana Claudia Michels, Emanuela de Paula & Barbara Berge. Não tá linda?! Adorei!


4º Dia de Dragão Fashion Brasil: O carnavalzinho fashion de Fortaleza vai dando adeus

É engraçado como o tempo passa rápido quando estamos dentro de uma sala de desfiles. Sem falar nas apresentações que também são rapidíssimas. Tanto que a gente chega no último dia, morto de cansado mas querendo que esses dias se prolonguem mais um bucadinho’. But... no es possible. Então vamos ver o que teve de melhor no último dia do DFB.


Melk Zda

Nesse ano, o trabalho realizado por Melk Zda foi todo pensado no universo da carpintaria. E, diga-se de passagem, ele arrasou.

Imaginem ai... um desfile repleto de estruturas amadeiradas, com fortes elementos orgânicos, onde as peças se reconstruíram durante a apresentação. Como isso acontecia? Duas modelos entravam juntas na passarela e paravam no centro dessa, fazendo as alterações nos looks. Foi um espetáculo.

Assim, a predominância dos tons terrosos e amadeirados deram cor as peças de M.Z, com toques sutis de tons dourados, que foram utilizados no abotoamento das peças (que lembrava dobradiças de portas).

Além disso, pedaços de fórmica colocados sobre as peças davam mais ênfase a esse mundo proposto pelo designer.


Cristiane Gomes

Ao som de Cibelli, Marisa Monte e Vanessa da Mata a estilista nos propõem uma viagem ao mundo da simplicidade interiorana, onde mulheres vestem-se com rendas, saias longas, feitas como em Patchwork, e com xales feitos em crochê, com um hand made bem característico.

As cores, intimamente ligadas ao minimalismo, são frias e sóbrias ao mesmo tempo, dando um charme especial as peças produzidas pela estilista.

Para quebrar a mesmice do tema, foram colocados na passarela roupas mais elaboradas e com cara de looks de festa, sendo que vestidos, calça com cintura alta, shorts, decotes princesa e saias longas deram um ar contemporâneo à apresentação.


Ronaldo Silvestre

Inspirado na França, mais precisamente na vida (ou no fim da vida) de Mata Hari, Ronaldo propôs nesse ano a utilização do jeans with jeans, com uns toques ligados essencialmente ao militarismo. Mas nem só de jeans o desfile foi feito: também teve espaço para o veludo e para o cetim, em peças mais delicadas.

Outros elementos constantes no desfile do R.S foram: aplicações de taxas, cintura marcada, calças com gancho mais folgado, ankle boots, botas de couro, estampas parecidas com papel de parede e pele sintética.

A cartela de cores ficou por conta do cinza, verde, branco tons amarelados e roxo.

Um desfile bom, retilíneo e com a voz encantadora da Regina Spektor como trilha sonora.


Lino Villaventura

Final do Dragão Fashion Brasil. O que esperar de um desfile, o mais comentado do evento? Assim como no ano passado, quando o estilista Samuel Cirsnasck iria encerrar o evento, ontem foi um “Deus nos acuda”. A fila quilométrica já se formava, mesmo havendo outros dois desfiles antes do tão esperado Lino Vilaventura.

A high socity fortalezense estava em peso na primeira fila do desfile, para acompanhar a apresentação daquele que já se firma como a grande inspiração dos aspirantes de moda aqui da terrinha.

E não deu outra: um desfile-show digno do merecido aplauso de pé da maioria das pessoas que estavam na Sala do Fogo, e olhe que aquela sala é enorme.

Não sei se fiz uma correta interpretação da obra mostrada, mas acho que se tratava do mundo mágico das aves que lutam a fim da liberdade. Tanto que alguns looks eram compostos com umas telas (parecidas com aquelas telas de proteção de gaiolas), onde haviam algumas penas, prova viva da vitória do pássaro frente ao cativeiro.

Os sapatos e os chapéus foram os grandes atrativos, tão bem confeccionados como as roupas, feitas em tafetá, organza, gaze de seda pura e aplicações de pérolas e cristais Swarovski. Um verdadeiro luxo no levantamento de vôo do estilista!

No 'meu radim' de pilha' toca agora:


Fontes: ProfissãoModa&DFHouse!

3

Incentivo aos Novos Estilistas no DFB 2010

Foi dado início, na terça-feira, aos desfiles do Concurso dos Novos Talentos do DFB 2010. Estavam participando 08 instituições de ensino, tanto cearense como de outros estados brasileiros. O tema, como já falei aqui, era sobre o homem que dá nome ao evento, o Dragão do Mar, Francisco José do Nascimento. Então, vamos ver o que os jovens estudantes de moda pensam e nos propõem esse ano.


Universidade Vale do Acaraú/CE

Com o tema "Couraça de Dragão" a UVA mostrou-nos um desfile marcado pela simplicidade do Chico da Matilde, pescador, valente e sonhador. Os tons terrosos faz com que a gente volte para a arreia e a duna de nossa praia e as nervuras, drapeados e outras texturas faz-nos ir para o fundo do mar e ver as escamas dos peixe e as estruturas dos búzios.

Devo aqui deixar meus parabéns ao grupo pela coragem e pelo trabalho bem feito na sua primeira participação em um evento como o Dragão Fashion. Não é fácil concorrer em pés de igualdade com instituições com mais tradição nesse mundinho'.


Universidade Estácio de Sá/RJ

A Estácio, com seu trabalho de sobreposição e degradê, nos remete para o fundo do mar, mas dessa vez a atenção é dada para as plantas aquáticas. Os acessórios (que eu ainda estou para saber de que foram feitos) lembra aquelas plantas marinhas que aparecem na praia durante a tarde, quando as ondas (representada no último look) jogam-nas para a beira-mar.


Universidade Federal de Goiás/GO

O trabalho da UFG tem dois momentos: um onde as cores neutras (imitantando algodão cru) talvez nos leve para o período escravocrata brasileiro e o outro nos mostra um escravo mais ligado às cores preta e vermelha. Creio eu que esse segundo momento queira nos passar a idéia de luto e lamento em respeito ao sofrimento das pessoas que mais lutaram para a construção desse país. Correntes, cadeados e faixas de couro transmitem essa idéia prisão e angústia.


Faculdade Católica do ceará/CE

A mais conhecida entre nós como Marista mostrou para a gente um trabalho digno de ser conceituado como de Alta-Costura, trabalhando com acetinados, corselets, pedras que imitavam swarovsks e tules sobrepostos.

Os tons terrosos também dão o 'ar da graça', mas são acompanhados pelo preto e pelo cinza. Os cabeçotes, à la Dior, fazem com que os modelos não mostrem suas faces. Esse efeito talvez tenha sido pensado para que as tristezas e as incertezas do escravo recém liberto não pudesses ser vistas por nossa sociedade hipócrita e racista.


FADESNE/CE

A cultura negra, bem como suas características mais singulares, foram trazidas para a passarela do DFB pela FADESNE.

Usando grandes perucas negras, as modelos surgiram com correntes, que serviram como acessórios e também como acabamento de alguns looks.

Diferentemente de todos os desfiles mostrados até então, a referida instituição resolveu apostar no uso de malha e nas cores mais fortes e vibrantes como o laranja e o verde.


Universidade Federal de Minas Gerais/MG

A UFMG apostou no uso da alfaiataria e do hand made para a confecção de suas peças.

Algumas lembravam até escamas de peixe, o que foi possível através de um trabalho de patchwork simples, bem característico do nordeste brasileiro. A cartela de cores ficou por conta do azul, tons terrosos, vermelho e amarelo.


Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio/SP

Assim como a FADESNE, essa instituição apostou na utilização de temas afros para a composição de sua coleção.

O resultado foi, também, o uso de grande perucas negras, correntes douradas, tons pasteis e estampas com referência ao povo tratado.

Para quebrar a monotonia do bege e das cores nudes, o vermelho, o amarelo e o preto apareceram nas peças, chamando atenção especial para os acessórios.


Universidade Federal do Ceará/CE

A grande vencedora do Concurso do DFB 2010, apresentou um desfile completamente fora do previsível. No lugar de temas étnicos ou ligados ao mundo escravocrata, como tinha sido mostrado até então, a UFC apostou numa proposta mais conceitual, trazendo para a passarela, na minha opinião, grandes deusas das águas, que surgiam trazendo coroas estilizadas e elementos do mar em seu corpo, representados pela aplicação de taxas e correntes.

Grandes looks estruturados davam uma imponência surpreendente para essas criaturas, que apreciam com ombros e silhueta marcados, num trabalho de alfaiataria e modelagem impecável. PARABÉNS!


Fotos: Reprodução

Fontes: DFhouse


3

3º Dia de DFB: A poesia, a dramaticidade e a teatralidade tomam contam das passarelas do DFB

Tarcísio Almeida

Com mais de meia hora de atraso e com uma sala de desfile um pouco esvaziada, começa a maratona de apresentações do 3º dia de desfile. E para deixar a nossa noite mais poética e dramática, o jovem estilista Tarcísio Almeida nos mostra um desfile-show altamente lírico e abstrato. Primeiro as modelos entram na passarela como de costume, depois, no lugar de saírem, elas voltam para o centro da passarela e ficam imóveis ao som de uma respiração ofegante e bem angustiada. Lembrou-me bastante as estatuas Greco-romanas, principalmente pelos look na cor nude e com trabalho de drapeados em tecidos fluídos remetendo aquele povo.

Na make, atenção especial foi dada para os lábios e para os olhos, bem marcados com um vermelho alaranjado. O vermelho também esteve presente em alguns sapatos, que nesse caso eram masculinos.

O desfile teve, ainda, dois momentos. No primeiro, como eu já havia citado as modelos entram lentamente no ritmo de vagaroso da respiração. Já no segundo, quando as modelos aparecem usando looks pretos e sapatos brancos, é iniciado um movimento maior, ritmado por uma música bem mais agitada e contagiante.


Kalil Nepomuceno

A cultura asiática foi trazida para a passarela ornamentada por tiras brancas vindas do teto idealizadas por K.N. Iniciando o desfile com um toque de um gongo tibetano, as modelos surgem com looks estruturados, trabalhado em alfaiataria, com ombros marcados e com a silhueta marcada.

As cores, bem variadas, dão um colorido especial à passarela, complementado pela utilização de estampas diversas, tais como as com inspiração nos bichos.

Como não poderia faltar, os acessórios e o acabamento das peças tinha como marca principal a utilização de pedras brilhantes, dando um certo luxo ao desfile.

Outros elementos importantes do desfile foram: leggings, tule, cores metalizadas, veludo, ankle boots, degradê, cintura alta e golas altas e estilizadas.

Ponto negativo para a trilha, que me deixou meio perturbado e agoniado, não sei se pelo volume elevado ou pelo batidão meio fora do contexto do desfile.


Sis Costure

Os elegantérrimos’ e glamorosos bailes do passado foram trazidos para a passarela da S.C com o tema “Folego da Vida”.

O público feminino ficou encantado com a coleção luxuosa e meiga mostrada, havendo a presença de tecidos finíssimo e fluídos, looks com um ombro só, balonês, drapes, recortes simétricos, típicos de uma alfaiataria bem elaborada, e boleros estilizados e estruturados.

Com uma trilha bem agradável, as modelos surgiam usando cores claras e frias, como o branco, bege nude e azul, além de renda, organza e laços.

Confesso que tenho um pequeno problema com laços, acho meio menininha demais e até breguinha. Mas, enfim, a presença deles não deixou que eu desgostasse desse trabalho da Sis, que foi bem nostálgico e chic.


João Pimenta

“Lá no meu sertão, pro caboco ler, tem que aprender um novo ABC...”. Foi nesse contexto nordestino, “Caba Macho Sim Senhô”, que o J.P encantou uma sala lotada e ansiosa para ver o trabalho de um dos estilistas mais influentes, quando se fala de inovação e revolução do guarda-roupas masculino.

Eu já tinha visto esse desfile dele pela internet (acho que no SPFW ou na Casa de Criadores, não me lembro bem), mas não me arrependo nem um pouco de tê-lo visto novamente.

Um trabalho rico, em um cenário limpo, onde o couro e os tons terrosos trouxeram os homens do cangaço para a passarela, utilizando calças que foram colocadas por dentro das botinas. Além do couro, sobreposições, casacos e blazers estilizados e o abotoamento trazeiro nas peças deram um ar contemporâneo para o tema, fazendo com que ele não caísse na mesmice.

Como não poderia deixar de ser, o J.P deixou-nos boquiabertos com alguns elementos do vestuário feminino transpostos para os looks masculinos. Cinturas altas, silhueta marcada, cintos finos e saias deixaram o “Caba Macho Sim Senhô” com um aspecto menos rude e menos desleixado.

Enfim, mas encantado estou com o trabalho do Pimenta e considero esse um dos melhores desfiles dele e do evento.


Thais Gusmão

Ebaaaa! Até que enfim um desfile mais diferente. Em vez de vestidos, calças e saias, Thais Gusmão nos trouxe um desfile de roupas íntimas bem glamoroso e sexy.

Um ‘Moulin Rouge’ foi trazido para a passarela. O resultado disso? Meia-calça, plumas e paetês, meia arrastão, luvas em renda, transparências e espartilhos fazendo a feminilidade das modelos irem ao seu mais elevado grau.

Surpresa para algumas peças confeccionadas em couro sintético, que deram uma marcação mais sensual ao corpo.

As cores não foram muito variadas, mas também não nos deixou dormir. Resumindo, os velhos vermelho, preto, bege e rosa ‘coloriram’ a apresentação da Thais.


Walério Araújo

Meodels’... que agitação. Era um ‘corre corre’ tão grande e agoniado naquele Centro de Convenções. Nunca vi coisa igual.

O excêntrico e conceituado estilista Walério Araújo já circulava o evento desde os primeiro dias, mas parecia que tinha acabado de pisar na Terrinha da Luz.

A homenagem ao aniversário do clássico “O mágico de Oz” também já tinha sido mostrado na Casa de Criadores, mas parecia ser inédito.

Enfim, Walério é Walério e eu tinha que presenciar esse momento. Já eram mais de 22h e nada de arredar o pé do local.

O que vi? Um show onde os personagens do longa saltaram das telas do cinema e vieram nos visitar, com um ar contemporâneo e elegante. O Leão, em busca da coragem, o Homem de Lata, ansioso por um coração, e o Espantalho, louco por um cérebro, fizeram companhia à uma Doroti mais amadurecida.

Os principais elementos da coleção foram, em resumo: couro sintético, tule, maxi botões, homem com espartilho, costas nuas, drapes e veludo, sendo as principais cores o preto, o rosa, o roxo, o vermelho e o verde escuro.

O dia não poderia ser finalizado de forma melhor: a platéia incendiada aplaudindo de pé o estilista W.A, que entrou na passarela com um mega salto e fazendo suas performances como de costume. Arrasou demais!


Fotos: Reprodução

Fontes: DFhouse


2

2º Dia de DFB: a Ousadia, a Irreverência e o Conceito dos Estilistas Cearenses

Olá Querid@s, primeiramente eu gostaria de me desculpar pela demora dos posts, mas my house tá em reforma e isso mexeu nas instalações elétricas. Mas, enfim, aqui estou para deixar vocês informados sobre as novidades do Carnavalzinho' Fashion de Fortaleza.

Madame Surtô

No primeiro e, digamo de passagem, bem atrasado desfile da noite, a estilista Thais Asfora nos convida à uma reflexão sobre as diferenças existentes entre nossos povos e nossas etnias. Com batuques afros ao fundo, surgem modelos trajando longas túnicas com temas étnicos, com amplos macacões e vestidos com aplicações de bottons, alguns trabalhados com alfaiataria. As cores do desfile são bem diversa, tais como verde, branco, laranja, vermelho, preto, azul, marron e o azul. Atenção especial para os acessórios em palha para o punho e para o tornozelo que deram mais ênfase ao lado êtnico do desfile.
Além disso, seguindo as tendências mostradas em outras passarelas, a M.S trouxe um mix de trasparências, litras, florais, aplicações douradas, patchwork, cintura alta, maxi-bolsas e uma make up marcada apenas na boca, com um batton vermelho alaranjado.
Creio, sendo conhecendor da marca e do trabalho da estilista, que houve uma grande evolução dela, em comparação ao ano anterior, tendo grande coerência entre familias de looks, cartela de cores e materiais utilizados. Enfim, Gostei!

Francisco Matias

Com a declamação de uma parte do Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, de Ariano Suassuna, ao fundo, o que podemos ver no desfile do Chico Matias (olha a intimidade.. srsrrs) foi um misto de emoção, dramaticidade, poesia e loucura. Com peças fluídas e vibrantes, as modelos surgem como pinturas saídas dos quadros do homenageado Arthur Bispo do Rosário,tendo um ar misterioso e assustador, até meio delirante.
A cartela de cores é bem sóbria, indo de um bege simples até o cinza e o roxo fechado. Detalhe especial para os tecidos acetinados utilizados para fazer uma espécie de entrelaçado sobre algumas peças.
Outros elementos marcantes desse desfile foram: cintura alta, óculos geeks, tricô, transparências, laços (muitos laços), looks estruturados, ombro marcado.

MarcusSoon

Muita surpresa pra mim nesse desfile. Lembro bem de no ano passado ter feito algumas criticas a marca, mas esse ano mordo a língua e digo, sim, que ela cresceu. Cresceu e encontra-se adolescente, uma adolescente revoltadinha e a frente do seu tempo.
Isso mesmo, foi isso que pôde ser visto na passarela da MarcusSoon: uma menina que acaba de crescer, debuta até, e luta pela maioridade. Uma garota que usa meia-arrastão, peças metalizadas, boleros estilizados, aplicações de taxas meio street-rock, Melissas Joy, ombros marcados, saruel em moleton e uma silhueta bem marcada.
Na mesma hora em que vemos a menina delicada com rendas e tules, deparamo-nos com uma menina-mulher utilizando looks com ombros marcados, com grandes botões que lembram até um militarismo disfarçado.
A utilização de cores também sóbrias dão ao desfile uma linealidade' bem construída e gradual, indo do preto e cinza em looks mais fortes até o rosa bebê e o branco em peças mais femininas e delicadas.

Piorski

Na caixinha mágica da Piorski cabe quase tudo quando se fala de contos infantis, indo de bailarinas até soldadinhos de chumbo. Mas para a estilista Débora Piorski a bailarina não é aquela figura frágil e inocente, mas sim uma criatura forte e vigorosa. Tanto que vemos uma evolução bem clara ao longo do desfile e uma menina meiga até uma mulher forte, caracterizada pela utilização de looks com referências ao militarismo.
Como não poderia deixar de ser, a marca propõem a utilização de cores retiradas diretamente de um arco-íris, sendo esse desfile bem alegre e colorido, fazendo brilhar os olhinhos que esperaram e suaram para conseguir entrar na sala de desfile lotada (lotada MESMO).
Os principais elementos desse desfile foram: silhueta marcada, ombros marcados, babados românticos, sobreposições, melissas, xadrez, saias franzidas, golas estilizadas e o uso do veludo para finalização de algumas peças.
Detalhe especial para a o estilo abordado no desfile bem anos 50, com decotes-princesa, cintura marcada e saias também godês. Muito boa essa ligação entre esse período, onde as mulheres ficaram mais fortes e saíram de casa rumo ao mercado de trabalho, e as mulheres da Piorski, que também passam por uma maturação ao longo do desfile.

Sá. Maria

Ao som de Beirut (que eu adoro muito) a referida marca mostra uma coleção denominada "Tempo dos Sonhos". Nessa perspectiva, os elementos da natureza são mostrados, visando uma reflexão de nossas ações no decorrer da vida, principalmente, de como vivemos com o meio que nos circunda.
E esses elementos podem ser vistos na cartela de cores utilizada: azul, verde e tons terrosos. Mas, seguindo a característica da marca, vimos looks contemporâneos e bem elaborados, como, por exemplo, túnicas, macaquinhos, bermudas e vestidos, todos construídos dentro das tendências atuais.

Weider Silveiro

Na correria, não deu pra entrar na sala de desfile do Weider, mas acompanhei atentamente pelos telões e vi uma homenagem ao rei da música Michael Jackson (tava até demorando). Pois é, sem perder sua marca (uso de lantejoulas e brilho) o estilista apostou numa restrospectiva na vida do cantor, utilizando vários elementos da vestimenta dele na construção de looks, que, por momentos, davam-nos idéia de nostalgia e em outros nos enchiam os olhos pela idéias mais conceituais e estilizadas.
Em resumo, pode-se dizer que o estilista uniu a tendência militar com as jaquetas, blusões e blazers usados pelo ídolo pop. Resultado: plateia envolvida e contagiada, principalmente quando da entrada do último look, que foi confeccionado diretamente pensado no clipe "Thriller".
Novamente, Weider liga-se a cultura pop americana para construção de um desfile que, pra mim, foi bem linear e dentro de um contexto bem trabalhado.

Lindeberge Fernandes


Já passavam das onze horas da noite e a platéia alvoroçada nem pensavam em arredar o pé do Centro de Convenções. Qual o motivos? A apresentação do desfile de um dos estilistas mais carismáticos e famosos aqui da Terrinha do Sol.
Lindeberge propõe-nos uma viagem ao mundo dos ciganos sonorizada pela Sandra Rosa Madalena de Sidney Magal. Essa viagem ligasse ao mundo da reciclagem, onde peças de latinhas e sucata viram um lindo colar ou um bordado impressionante em um vestido.
Enganasse que pensa que isso tudo foi repleto brilho e vestidos rodados. Não mesmo. No lugar disso, o estilista usou o recycle jeans, com rasgões e com cara de retirados da lata do lixo, com manchas e um aspecto sujo. O brilho exitente ficou por conta do detalhe dos leggings pretos, que foram combinados a peças com penas que fluíam ao longo da passarela. Unidos a isso, podemos ver looks bem diversos (calças, shorts, macacões, vestidos).
Vale salientar a evolução gradual vista na passarela gypsy do L.F. Uma passagem de peças mais comerciais e streets para vestidos bem elaborados, construídos com sobreposições e com lavagem em degradê.
Portanto, valeu super a pena esperar um tempinho a mais para ver esse que já é considerado um dos maiores e melhores desfiles visto no DFB 2010.


Abraços

Fotos: Reprodução

Fontes: DFhouse ProfissãoModa



0

Reflexões sobre o Tempo e Sobre a Personalidade marcam o 1º dia de desfiles do DFB

Como eu falei mais cedo, hoje foi dada a largada para o Dragão Fashion Brasil. Eu não podia ficar de fora dessa e, lógico, agora tenho várias coisas bacanas pra falar para vocês. então, vamos lá conferir os principais desfiles da noite de hoje.


Conexão Solidária


A proposta da C.S é trazer o artesanato e a cultura brasileira para as passarelas, mostrando o que temos de mais característico na nossa moda, ou seja, renda, tricô,
crochê, richilieu, macramê e bordados dão o ar da graça em looks contemporâneos.
O lance básico é trazer o EcoDesigne pra passarela e mostrar que nossa cultura deve sim ser valorizada, principalmente essa praticada por pequenos grupos produtivos.


Jolie Jolie! Por Andreia Cerqueira


Que gostoso ver desfiles infantis. Deu vontade de apertar todas aquelas coisinhas fofas que estavam desfilando para a J.J.
Mas enfim...foco né seu Pedrin de Oliveira (haushaushau). Acompanhei o desfile da marca pelos telões e vi muita coisa interessante.
Primeiro, o tema "O Pequeno Mundo de Frida" me deixou boquiaberto, adoro a Frida e sei a importância dela como mulher e como pintora. E outra coisa, como tratar um tema tão denso em um desfile infantil? Essa era a pergunta que eu estava me fazendo antes do desfile começar.
Mas o que se pode ver foi um desfile bem alegre, com temas mexicanos, com muita cor e com alguns elementos do folk. O toque artesanal também deu as caras na passarela da J.J e deixou o público encantado.


Iury Costa


A coleção "Velodrome" do novíssimo estilista cearense estava na boca do povo. Ele se propunha a fazer uma reflexão de nossas ações e do tempo (principalmente a obsessão pela velociadade), vendo como esse influencia-nos. Iury, como não poderia deixar de ser, mostrou uma coleção bem minimalista e reflexiva, com algumas marcas bem legais: futurismo, nude, tecidos fluídos, monocromatismo e transparências. O resultado disso: um desfile leve e bem centrado nas idéias que ele queria passar.


Mark Greiner


Esse vai ficar marcado pra mim pra sempre e já acho um dos melhores dessa edição do evento (srsrsrrsrs). Um desfile carregado de misticismo e características que nos levavam a pensar na religião e na influencia que ela tem sob as ações da humanidade. O próprio release do desfile, que parece mais uma oração, nos leva a uma reflexão do ser e do que fazemos enquanto sujeitos, veja:

"Hoje, sou presente. Divido o momento e exprimo emoção. Busco o cotidiano sabor e saber familiares. Coleciono imagens que refletem na alma. Olhar e expressão, sorriso de quem recebe ou doa alegria."

Principais elementos da coleção: transparências, ombros marcados, looks estruturados, nude, brilho. Como diz meu amigo @davisadamoto, o que se pôde ver foi um ladygagaismo maduro e elegante. O tema dessa apresentação do Mark era "Presente mais que perfeito".


Vitorino Campos

O tema desse desfile era "A Mulher que controla o Tempo".

"A angústia de viver na desordem em busca da ordem é o que define a mulher de Vitorino Campos para o seu Inverno 2010. Totalmente atual, ela se depara com a velocidade da vida, dos processos pessoais e coletivos de evolução, das cidades, da informação. Tudo que parece tão contemporâneo foi previsto cientificamente ainda no século XIX: um grau de desorganização da matéria ou, em palavras simples, a energia que não pode ser transformada em trabalho. Para aliviar um pouco a sensação de que nada pode ser feito num mundo que gira nessa velocidade insana, a mulher de entropia recebe o dom de acalmar os ponteiros do relógio e, assim, conseguir observar e vivenciar melhor cada detalhe da vida." (DFHouse)

Dessa forma, o que vimos nesse desfile foram muitos tecidos finos e elegantes, minimalismo, ombros marcados, utilização de cordas como complemento ds looks, alfaiataria altamente requintada, saias lápis e uma coisa que me deixou bem surpreso: os sintos das peças foram confeccionados com relógios. Pra mim foi o segundo melhor desfile da noite.


Mário Queiroz

Em se tratando de moda masculina, o Mário Queiroz é um dos nomes-chave presentes no Line-up do DFB. Nesse desfile, o renomado estilista mostrou uma certa mistura entre o punk , os anos 80 e o gentleman londrino.
Tanto que os elementos básicos desse desfile foram: zíperes grandes e vísiveis, rock, alfaiataria usada com tênis, bottons, saruel, chapéu e as cores básicas foram o cinza, o vermelho e o amarelo.


Mar del Castro

Já para essa marca, que faz parte também de um grupo super bacana chamado Coletivo Acervo Aberto, a moda praia tem um mix entre o neon forte e extravagante e a singeleza do artesanato, notadamente do tricô. O que podemos ver foram, também, tecidos fluídos, saruel, estampas com temas animalescos' e com padronagens que remetem ao patchwork, tricô e muitas cores (laranja, rosa, verde, etc. tudo em neon). Como sempre, o desfile não teve só biquines, maiôs e sungas. Mas que isso, os irmão André e Rapha Castro propõem uma moda praia mais elegante, contendo vestidos, calças e caftãs.

Infelizmente, por conta da minha fome e da correria, não deu pra assistir os desfiles da Handara e do Ivanildo Nunes. Amanhã vou ver se dá pra assistir todos (levar umas barrinhas de cereal e água na mochila.. srsrsrrsrsrs).


No 'meu rádim de pilha' toca agora:



Depois posto mais fotos e mais informações sobre o 1º dia do DFB, mas agora tenho que dormir. Abraços!


Fotos: Reprodução

Fontes: DFhouse ProfissãoModa

Dragão Fashion Brasil: é hoje!

Bom, como tod@s vocÊs já sabem, hoje começa o Dragão Fashion Brasil. E vou logo dizendo que, não sei porque, mas não consegui a credencial para o Movimente e Pense cobri o evento. Mas vocês acham que eu me abato? Jamais!!!
Já consegui alguns convites, creio que vou conseguir mais alguns. Essa labuta toda é pra tentar mostrar para vocês o que vai acontecer nesses 4 dias do evento de moda mais fashion do nosso estado, que sabe até do nordeste.
Enfim, a correria tá grande, a equipe de organização está ralando pra que o eveno seja um sucesso e os estilistas que vão apresentar suas coleções estão na mesma, isso pode ser visto nos twitters deles.
Veja um pouco do que vamos poder conferir durante o DFB:


Equipe agilizando a ambientação do DFB


Espaço MusicBox... parties end more parties



Entrada do evento (promete ser baphônica)


E ai, ansios@s? Eu estou um pouco. Sei que é muito cansativo toda essa correria, mas também é muito bom acompanhar os desfiles, curtir toda essa programação que a galera tá organizando... enfim.. A gente se vê por lá. Ok??!!

Abraços

Fontes: DFHouse
@DragãoFashionBR


Back to Top