Pages

0

Para Compreender o Design


Como já havia falado aqui, muita coisa mudou de uns tempos pra cá. Uma das principais foi minha mudança de faculdade. Pois é, o semestre já começou e ele veio trazendo consigo uma série de outras tarefas: estágio, monitoria, grupo de estudo e afins. Espero, sinceramente, que eu sobreviva ao Design de Moda da UFC.
Bom, uma das principais disciplinas desse primeiro semestre e que, no meu mero entender, é o alicerce de todo o estudo do novo curso, se chama Fundametos do Design. Nessa, nós iremos conhecer a história da profissão, tanto no cenário mundial como no Brasil, e trabalhar no sentido de entender melhor os conceitos da mesma. Assim, elementos, princípios, formas e cores farão parte dessa jornada de estudo, que tem tudo pra ser bem produtiva.
Pra começar, gostaria de indicar pra vocês alguns livros da bibliografia passada pela minha professora. Eles abordam, como supracitei, desde a origem do Design até os elementos que constitui.

Uma Introdução à História do Design - Rafael Cardoso


Trata básicamente sobre a história da profissão e sua inserção na nossa sociedade.

Princípios de Forma e Desenho - Wucius Wong


O livro é uma ótima dica para quem deseja ter um conhecimento básico sobre os fundamentos do desenho e sobre a construção das formas.

Sintaxe da Linguagem Visual - Donis A. Dondis


A obra sintetiza os elementos básicos da comunicação visual.

Da Cor a Cor Inexistente - Israel Pedrosa


O título despensa qualquer tipo de comentário.

Universo da Cor - Israel Pedrosa


Aborda os princípios básicos da Cor, sua classificação, as características e a percepção humana sobre elas

Estão vendo como meu semestre já está animadíssimo??!! Já peguei boa parte desses livros e já estou debulhando-os. Confesso que a temática me atraia bastante. Acho que é demasiadamente importante para os profissionais de Design, sejam eles gráficos, de moda, de ambiente, etc., conhecer sobre sua origem e sobre os elementos básicos que regem a profissão. Para os que gostaram das dicas, boa leitura. Abraços.

0

Anne Hathway: Atriz, Anfitriã, Camaleoa, Diva!


Confesso que não ia escrever esse post. Pensei muito antes de fazê-lo, mas acabei não resistindo. Isso porque o assunto do dia em todos os blogs da terra é a premiação do Oscarda noite passada. Mas como não falar da ultra, mega linda anfitriã da festa, eihn? Não tem como. Anne Hathway demonstrou ser, além de uma ótima atriz, uma incrível apresentadora. Camaleoa que só ela, Anne arrancou suspiros dos presentes a cada aparição no palco, ao lado de James Franco. Adotando desde looks androgênicos até vestidos extremamente femininos, a atriz foi super feliz nas suas escolhas, abrilhantando mais ainda a cerimônia.


Vestido By Valentino

Armani Privé

Lavin

Viviane Wstwood

Tom Ford

Versace

Oscar de la Renta

Givenchy

Imagens: DivaDiz & JustJared
0

Moda + Design + Sustentabilidade = Monttainai Design


Como já era sabido, o Designer Jum Nakao esteve aqui em Fortaleza (e ainda está, se não me engano), para ministrar alguns cursos e também falar um pouco de sua experiência com a Monttainai Design. Monttainai é um palavra originada do budismo e está ligada a utilização responsável de nossos recursos naturais, sem desperdiçá-lo, aplicando os três R's do consumo sustentável: Reciclar, Re-utilizar, Reduzir. E foi justamente sobre isso que o Jum veio falar.


Iniciando a palestra, que, aliás, foi super agradável e relaxante, o Designer falou da importância do profissional trabalhar como uma ferramenta de troca com a sociedade, servindo-a em prol do bem comum e entendendo seu contexto sócio-cultural. A partir daí, também agir aproveitando ao máximo os recursos que nos são disponíveis. Como ele mesmo diz, "porque jogamos a casca do limão fora depois de fazer uma limonada?". Porque não encontramos meios para se trabalhar com essa casca e fazer com que ela venha a contribuir para o nosso bem estar? Essa ação está refletida diante de um mundo onde a efemeridade das coisas é cada vez maior, onde objetos, roupas ou não, são cada vez mais comprados e jogados fora. Compramos por comprar, pelo apelo midiático, pela necessidade de mostrar que temos poder aquisitivo para isso e aquilo.



Jum falou de sua experiência na Holanda, visitando e acompanhando o trabalho de vários artistas que lidam com essa mesma problemática e propõem mudanças na nossa forma de utilizar determinados bens. Através de imagens, ele nos vez viajar por um mundo onde as oportunidades não são desperdiçadas. Lugar onde objetos antigos são reutilizados em vez de serem jogados no lixo. Lugar onde pedaços de madeira, antes jogados fora pela indústria, são utilizados para construir objetos com uma nova roupagem. Enfim, um lugar onde se pensa e se põe em prática os conceitos do Design Sustentável.

A maioria dos trabalhos exibidos pelo Jum são confeccionados por artistas da própria Holanda, país que nem sofre tanto com as mazelas da poluição e do desperdício, mas que arregaça as mangas na luta por um Design mais agradável para o meio ambiente.

The Artist Has To Live Like Everybody Else (O Artista Tem que Viver Como Todo o Mundo), palavras que encerraram a palestra

Foi uma experiência incrível, onde novas janelas de possibilidades foram mostradas para se trabalhar com o Eco-Design. Pra mim, não adianta apenas teorizar sobre o assunto e fingir que está se produzindo moda sustentável apenas criando um vestido de jornal, uma pulseira de garrafas pet ou uma eco-bag que só será exposta, sem condições de uso. Design Sustentável é muito diferente disso tudo: é você propor mudanças que possam realmente ser utilizadas e que venham a mudar um contexto social. Sei, vocês devem está pensando: "ele sonha demais", "isso tudo é muito caro", "isso não tem viabilidade". Enfim, mas são esses pensamentos, advindos de uma pequena parcela da população, que podem salvar o planeta e que possibilitará uma harmonia entre o homem, seus atos de consumo e o meio ambiente. #reflita
0

Minhas Mães e Meu Pai



Ter uma família formada por uma união lésbica ainda é um tanto estranho na nossa sociedade, não é? Agora, o que você diria se dessa união nascessem duas crianças, cada uma por inseminação artificial, em ambas as mulheres, sendo a fonte (doador) um único cara? E, pra finalizar o suspense, imagine ai que, um dia, umas das crias dessa relação resolve descobrir quem é seu pai biológico e esse acaba se envolvendo com uma das mães dessa criatura. Uma viagem, não é mesmo?


Mas é o que acontece no filme The Kids Are All Right (Minhas Mães e Meu Pai), da diretora Lisa Cholodenko, um dos indicados na categoria de melhor filme na premiação do Oscar que acontecerá nesse domingo (27/02). Mais do que uma comédia um tanto quanto dramática, o longa trás uma temática cada vez mais presente em nossos dias, que é a formação familiar homosexual, fora daquele conceito tradicional (pai, mãe e filhos).

O elenco é genial, tendo a Annette Bening (que também está concorrendo ao Oscar de melhor atriz), Julianne Moore, Mia Wasikowska, Josh Hutcherson e o grande Mark Ruffalo, também indicado ao Oscar de ator coadjuvante no mesmo filme. A fotografia é também incrível e tem uma super música do MGMT na trilha sonora, The Youth. Vale super a pena conferir o filme e torcer para que um dos prêmios venha para ele no domingo. Quem tiver como fazer download, pode ficar a vontade clicando AQUI. Acho que ele ainda não está em exibição aqui pela terrinha. #ficaadica

Imagens: Virgula
3

Ilustração e Desenho de Moda: Diferenças e Aplicações


É muito recorrente a confusão feitas por alunos ingressantes nos cursos de moda entre os conceitos de Ilustração de Moda e o Desenho de Moda propriamente dito. O primeiro grande erro que se comete é pensar que, para estudar moda, é necessário ter domínio dessas técnicas. ledo engano, meus caros. Moda existe para além disso. Enfim, mas a discussão que eu quero trazer hoje para vocês é sobre a origem e aplicação da Ilustração e do Desenho de Moda.

Ontem, eu li um artigo super interessante, chamado A Ilustração de Moda e O Desenho de Moda, da mestre em Moda e professora do SENAC Penha, Carla Stephania de Góis Duarte, onde a autora trás esse debate, levantando a importância de se conhecer as origens da ilustração, principalmente sua aplicação no mundo fashion, tendo em vista a precariedade de bibliografia especializada na área.

Trabalhos de Myltan e Kelly Smith

Segundo ela, e de acordo com vários outros autores em que ela se apoiou para a elaboração do artigo, a Ilustração de Moda surgiu no século XVI, em ocasião das grandes navegações. Grandes personalidades embarcavam nessas expedições e, conhecendo os modos e os costumes (inclusive do vestuário) das novas terras encontradas, tentava representar essa cultura e repassar para seus países de origem, utilizando a técnica da xilografura. Portanto, mais do que somente ilustrar (enfeitar) páginas de noticiários, a Ilustração de Moda dessa época tinha uma função de comunicar e informar às pessoas sobre novos povos e seus hábitos de vestimenta. Foi daí que surgiram as primeiras revistas de moda, etiqueta e bom costumes, notadamente na França. Com isso, já podemos 'conceituar' Ilustração de Moda como sendo um artifício, utilizado por um artista, estilista ou não, para comunicar algum fato, divulgar algo, estando diretamente ligado com as funções publicitárias.


À esquerda, Designer desconhecido. À direita, Croquis da Versace

Já o Desenho de Moda, surgido no século XVIII com a estilista da Rainha Maria Antonieta, Rose Bertin, tem outra função bem diferenciada. Assim como a ilustração, essa técnica também tem uma função informativa, mas diretamente ligada a confecção do vestuário. Nela, o estilista, através de processos de criação, põe no papel sua idéia sobre determinado tema e esse é interpretado pelos costureiros e, ai sim, produzido.

Entenderam a diferença? Espero que sim. Vemos hoje em dia um grande 'boom' da Ilustração de Moda, que teve uma depressão muito grande nos anos 30, devido os avanços da fotografia e a utilização dessa nas revistas de moda. Não são nada raros as capas de revistas, como a Vogue e a Elle, que trazem trabalhos de grandes ilustradores, abrindo espaço para uma maior diálogo entre as duas técnias supracitadas.

Se você gosta de desenhar, tem aptidões para a ilustração, seja ela de moda ou não, aproveite esse dom e desenvolva sua técnica. O mercado está, sim, precisando de pessoas especializadas nessa área, que unam tanto técnicas antigas (desenho à mão livre), com técnicas mais modernas, com utilização de softwares, como photoshop, corel draw e ilustrator. Mas também não se desespere se você não tem habilidades para desenhista. O mundo da moda oferece muitas outras oportunidades de trabalho, como jornalismo de moda, produção de eventos, e afins. Abraços.

0

A Mottainai Design de Jum Nakao


Para os menos informados, acontecerá, na próxima segunda (dia 21/02), uma palestra gratuita com o talentosíssimo Jum Nakao. Na oportunidade, o designer apresentará o seu conceito de moda ecológicamente correta (a Mottainai Design). Ou seja, é uma oportunidade incrível para quem quer abrir novos leques de possibilidades na área, inovando e desistigmatizando o Eco-Design.



Não deixe de participar. As inscrições vão (infelizmente) só até hoje, pois as vagas são super limitadas. Elas podem ser feitas por telefone. Então, corra que ainda dá tempo. Ligue Já rsrsrsrrssr (3452-7065 / 25523435).


Ah, ia esquecendo, a palestra vai ser ali no Sesc Senac Iracema, do lado do Centro Cultural Dragão do Mar, às 19 hs. Nos encontramos por lá. Abraços!

Imagens: Blog Senac


Love and Other Drugs



Bom dia querid@s. Não vou mentir pra vocês, dizendo que sou a pessoa mais sensível do mundo, que se acaba sempre aos prantos quando vê um filme mais sentimental. Não, não sou mesmo assim. Mas, ontem, assisti um filme que fugiu a essa regrinha. Pois é, o novo filme da linda Anne Hathaway e do genial Jake Gyllenhaal é, como já dizia a crítica, muito bom. Além de ser super (e bota super nisso) divertido, é bem emocionante, pois conta a história de uma cara (Jamie), considerado o pegador, que acaba se apaixonando perdidamente por uma garota (Maggie) um tanto quanto esquisita. Mas essa esquisitice tem uma razão de existir e eu, lógico, não vou contar aqui (perde a graça, com certeza). Só posso dizer que achei o final magnífico, ficando lindamente arrematado com o som da Regina Spektor, cantando Fidelity.

Trailer do Filme

Enfim, não deixe de assistir. Não sei se já estreiou no cinema. Pelo menos aqui perto de casa não. Mas, para você, que, assim como eu, não gosta de esperar muito (eita ansiedade que me mata!), pode fazer download dele aqui no site do Cine Anarquia (Adoro).


Abraços e Bom Dia!

Imagens: Reprodução
0

Salão de Abril




Para quem ainda não viu, vai ai mais uma chance de apreciar a última edição do Salão de Abril - 1980 - 2009 De Casa para o Mundo. Do Mundo para a Casa. Esse espaço é reservado para divulgar o trabalho de vários artistas que trabalham com artes visuais e essa edição tem a intenção de fazer uma retrospectiva, tendo foco na sua trajetória desde a sua primeira edição.

A visitação está liberada até dia 27 de março e ocorre no Museu de Arte Contemporânea do Centro Cultural Dragão do Mar. #ficaadica

0

O Pagador de Promessas



Hoje recebi um convite que achei um tanto quanto desinteressante: assistir uma peça no Dragão do Mar com a entrada no valor de dois reais. Pensei: "eu lá vou me destacar daqui para o D.M, nessa chuva e depois de um dia cheio de atribulações". Só que sai da minha aula de francês com uma vontade de não ir para casa e acabei não resistindo ao chamado da minha amiga.
Cheguei lá, meio atrasado, mais, confesso, fiquei simplesmente encantado com a peça. Desde o cenário, bem rústico, até o figurino e a trilha sonora do espetáculo. Para quem não conhece a história escrita por Dias Gomes, trata-se da luta de Zé do Burro para cumprir uma promessa feita a Santa Bárbara em troca da cura de seu grande amigo e animal de estimação, Nicolas, o tão querido burro.

Trailler do filme baseado na obra de Dias Gomes, de 1962, vencedor do prémio Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Para quem tem interesse em ver uma grande obra de nosso teatro, pode aproveitar a última exibição da peça, que acontecerá na próxima terça-feira (22/02). Aliás, todas as terças são realizadas mostras de teatro lá no Dragão, todas em preços populares, abrindo as portas do teatro para quem não tem tanta condição de pagar para assistir uma peça de qualidade. Para mais informações, você poderá acessar a programação mensal (e semanal) das atividades do Centro no site da instituição (www.dragaodomar.org.br).

Imagem: Reprodução

Eco Chic Por Matilda Lee


Tem coisa melhor do que você chegar em casa depois de um dia super cansativo e receber um presente surpresa? Não, né?!!! Melhor ainda quando esse presente é um livro que você, há tempos, paquerava. Pois é, ontem tive essa alegria com o livro Eco Chic - O guia de moda ética para a consumidora consciente - da jornalista inglesa Matilda Lee.


E o destino é mesmo muito phoda. Não sei se já contei para vocês (creio que não), mas na semana passada participei de um encontro para a seleção de novos bolsistas em um programa da Universidade Federal do Ceará. Nesse, todos os candidatos a bolsistas tem que desenvolver um projeto, em qualquer área de interesse (ligadas ao curso, lógico) e montar um grupo de estudo em células. O meu tema é justamente Moda, Sustentabilidade e Economia Solidária. Vemos diariamente várias ações dentro dessa temática, tanto na mída televisiva como pela nossa tão querida internet. Mas considero esse estudo na âmbito acadêmico um pouco menosprezado, ou melhor, é um tema ainda meio idealizado demais, muito estigmatizado e pouco se faz na prática. A minha idéia é justamente conhecer melhor tudo isso, desde o processo de confecção cruel das roupas em países pobres até como nós, consumidores, podemos ajudar na nossa própria casa, mais especificamente no nosso guarda-roupa.


Já comecei a ler o livro e ele trás toda essa discussão. Depois, se realmente for selecionado na bolsa, postarei mais coisas dentro dessa temática e, se possível, convidarei vocês para fazer parte dessa, digamos, luta por uma moda consciente. Ah quem puder comprar o livro, não perca tempo. #ficaadica Fiz uma pesquisa rápida aqui na internet para ver se conseguia um link para download dele, mas não consegui. Se alguém ai encontrar, não deixe de me avisar, ok??!! ABRAÇOS
0

Photo Du Jour - Iris Van Herpen

Imagens do último desfile da Estilista Iris Van Herpen, holandesa que estava despertando o interesse da imprensa internacional. Com apenas 26 anos de idade, ela já trabalhou com Alexander McQueen e na Viktor&Rolf e sua marca registrada são criações que fogem do senso comum. Vejam:




Abraços!
0

Anos Depois...

Pois é pessoas da minha vida. Depois de um tempão totalmente sumido daqui, cá estou eu novamente. E muita coisa aconteceu nesse ínterim. Mudei de faculdade, fiz uns trabalhos super bacanas junto a um grupo de mulheres num curso de Corte e Costura, mudei de casa, etc etc. Dessa forma, ficava inviável manter o blog sempre atualizado. Uma pena, mas quem me acompanha no twitter viu que eu estava sempre dando dicas de eventos, desfiles, músicas e etc, que é o que o M&P se propõe a fazer mesmo.
E como iniciar sem falar um pouco sobre o maior evento de moda do Brasil? Não tem como. O SPFW, que debutou esse ano, encerrou suas atividades nessa quarta-feira (o2 de fevereiro), deixando os brasileiros fashionistas (e os não diretamente ligados também) num frisson incrível. Era só no que se falava, tanto no rádio, Tv, como nas mídias mais rápidas (a nossa velha e querida internet).
Enfim, vários foram os desfiles que me chamara a atenção nessa temporada, dentre os quais posso citar o da Animale e o da Tufi Duek, que trouxeram para passarela um trabalho impecável de corte e modelagem, além de um minimalismo que sempre me fascina.


O que foi o desfile do Reinaldo Lourenço? Alguém pode me explicar? Modelagens diferenciadas e tecidos tecnológicos misturados em looks que remetiam a mulheres glamourosas e fortes.


Mais uma vez a arquitetura e a moda andaram de mãos dadas. Isso ficou bem claro nas criações do (grande) Ronaldo Fraga e da Maria Bonita, ambos tendo homenageado a cidade de Brasilia em seus desfiles. Ronaldo optou por trazer para a passarela o trabalho do gênio Athos Bulcão, homem que deu vida e cor as obras da capital brasileira. Já a Maria Bonita fez um trabalho lindo com inspiração nas mulheres e nos homens que trabalharam na construção de Brasilia. Não satisfeita com a beleza dos looks e da make, a grife ainda trouxe a voz do mestre Chico Buarque, na música Construção, arrematando lindamente a apresentação.


Outro cara que sempre me agrada (e vocês já devem saber disso) é o João Pimenta. Acho primoroso o trabalho que ele faz, trazendo a modelagem feminina para os looks masculinos. o resultado é fantástico, com uma modelagem super bem executada.


Achei também super bacana a apresentação de encerramento da Cavalera, que fez, literalmente, chover na passarela da Bienal. Foi incrível ver os modelos entrando na passarela alagada, uns com guarda-chuvas e outros não. Sem falar na estamparia que, como sempre, deixou muita gente arrancando os cabelos.



Bom, por enquanto é isso. Depois, vou trazer pra vocês um pouco das apostas que foram lançadas nessa edição do evento. O que pode ser adiantado é que teremos um inverno bem elegante e aquecido com a ajuda do tricô. Quem tiver peças desse material (que já foi considerado cafona por ai) pode ir tirando do guarda-roupa, por que ele vai ser o hit da estação.
Back to Top