Pages

5

Diálogo com Lino Villaventura e Adriana Piorski






Bosimbó!
0

Workshop Sinditêxti

Participe!
0

Design São Paulo

Divulgando.
Abraços!
2

Brasil Fashion Designers 2011


Saiu hoje o resultado da seleção dos finalistas do concurso Brasil Fashion Designers Nordeste. Pra minha enorme surpresa, eu sou um dos finalistas. Isso mesmo. Yo, a pessoa que vos fala, está entre os 10 classificados para disputar uma viagem para a Alemanha, pra conferir uma das feiras mais importantes de tendências.


Confesso que não acreditei quando me ligaram me dando a noticia. Foi super emocionante pra mim. Só agora, estou parando pra pensar e acordando. Já tinha tentado alguns concursos antes mesmo de entrar no curso de moda e sei da importância deles na carreira de um estilista.
Ainda não estou sabendo como vão ser as próximas etapas de trabalho. Estou super curioso, admito. O que sei, por hora, é que vou ter que ralar um bocado para entregar os 10 looks da coleção prontos até a data do desfile, que será em agosto.
Ah, ia esquecendo, o tema central do evento é sobre o Rio São Francisco. Eu optei por trabalhar com "As Lavadeiras do Rio", mulheres fortes, guerreiras, mães, enfim, mulheres, que tiram da água do Velho Chico o sustento da sua família.
Agora é pagar para ver.


Fonte: BFD

Plus Size Fashion Fortaleza

Com o tema "As Pedras vão Rolar", acontece aqui em Fortaleza, no dia 11, o maior evento de moda Plus Size, ótima oportunidade para a apresentação e divulgação de produtos de moda voltados para esse setor, tão grande e, ao mesmo tempo, tão pouco falado em nosso meio.


"O PLUS SIZE FASHION será um misto de apresentação de novos talentos, modelos PLUS Size, tendências e estilo. Lojistas e modelos preparadas para apresentar os looks que vão fazer literalmente a festa das Plus Size durante todo o ano."


O evento vai acontecer no The Publi Music - Av Carlos Jereissati, 1600, Aeroporto - Fortaleza/CE.
Participe!

3

E o prêmio vai para...



Muito nervosismo, aflição, correria e tensão tomaram conta do último dia de Dragão Fashion Brasil. Não bastasse o tão esperado desfile do aclamado Lino Villaventura, o dia estava reservado para o anúncio do grande ganhador do Concurso dos Novos Talentos. Como vocês puderam acompanhar aqui, as equipes participantes realmente mostraram um bom trabalho, dedicando-se de corpo e alma na execução dos seus projetos. Mais uma vez, super PARABÉNS a todos os candidatos.
Esse ano o primeiro lugar foi para a Faculdade Católica do Ceará, que tinha como tema as "Mulheres Cabaças". Um desfile incrívelmente bem executado, com peças de alto requinte e com um ótimo acabamento.


O segundo lugar ficou para a Universidade Federal de Minas Gerais, com o tema "Impulsos Orgânicos". Lindo, exuberante, dentro da proposta do evento, enfim, o desfile dessa equipe era digno do primeiro lugar também.


O terceiro lugar ficou com a Universidade Federal do Ceará, que tinha como tema o luxo do lixo ("Lixúria"). Não teve um uma equipe que ousou mais na utilização de materiais reciclados, dando uma nova cara aos mesmo. Tudo muito lindo.


Imagens: DFhouse
0

A Virada Cultural é Aqui.


Bom, pra inicio de conversa, queria deixar registrado aqui a super inveja (branca, lógico) das pessoas que foram para a Virada Cultural em São Paulo. Próximo ano, tentarei participar (isso é uma jura para mim mesmo).

Enfim, deixando o despeito de lado, resolvi ser feliz culturalmente por aqui mesmo. E, olhe, opção não falta nessa "cidade bela". Visitei algumas mostras artísticas e não me arrependi. Uma delas foi as exposições que estão ocorrendo lá na Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Brasiliana Itaú, nome de uma delas, traz a história do Brasil através de documentos e imagens registradas nos primórdios de nossa história. A exposição está montada em sete núcleos e vai desde aos registros da primeira década na Terra Brasilis até as várias obras de nossos mais famosos artistas que destacaram a nacionalidade em seus livros.


A Outra exposição, chamada Brassaï, mostra um pouco da obra do fotografo de mesmo nome, que tinha fascínio pela cidade da luz. A noite parisiense, irreverente claro, é sua inspiração principal, possuindo um acervo de 98 fotografias em preto e branco. Veja mais informações sobre esses projetos no próprio SITE da universidade.


Outro evento super bacana que está acontecendo na cidade é o Palco Giratório. Esse projeto, promovido pelo SESC, tem a proposta de disseminar as artes cênicas no Brasil. Esse ano, na sua 14ª edição, o evento conta com 30 espetáculos, 16 grupos de 10 estados brasileiros. Ontem fui ver uma peça e sai maravilhado. Vale super a pena reservar um tempinho nesse mês de abril pra curtir um pouco da PROGRAMAÇÃO. Afinal, é bem complicado encontrar mostras boas com um preço tão bom (10,00 inteira e 5,00 meia).



Aproveite! Abraços!

Imagens: Reprodução

Workshop com Janine Niepiceron


Sabe quando, de cara, você fica encantado com uma pessoa? Com a (diva) Janine Niepiceron foi assim. Já falei um pouco dela e do trabalho que ela desenvolveu e desenvolve AQUI, mas nada se compara a oportunidade de construir uma modelagem orientado por ela. Não tinha dúvidas da sua capacidade, lógico, mas o fato é que realmente me surpreendi com a capacidade que ela tem de tornar uma técnica aparentemente complicada em uma brincadeira super gratificante. Há um bom tempo, tenho um contato forte com a modelagem tridimensional, tanto que, hoje, sou um dos monitores dessa disciplina no curso de Design de Moda da UFC. Nesse quesito, graças a Deus, tive sempre bons (ou melhor, ótimos) orientadores, que me fizeram entender e deixaram eu explorar meu lado criativo.


O mini curso serviu para que eu compreendesse melhor algumas técnicas. Na faculdade, temos que passar por um longo processo de aprendizado da técnica do moulage, desenvolvendo algumas peças bem básicas que vão nortear futuros trabalhos. Porém, essa etapa é um pouco enfadonha, pois temos que deixar um pouco a criatividade de lado e explorar os métodos para o desenvolvimento de uma boa peça de roupa (como orientação de fio, regulagem do tecido, etc).
Eu sou super suspeito para falar, pois adoro a técnica. É bem legal você ver um look sendo criado do jeito que você está imaginando.#ficaadica.

Blog SENAC CE


Foto de Heloísa Araújo para o DFhouse

Enfim, voltado para o workshop, fiquei encantado com a simplicidade da Janine. Apesar de ter trabalhado pra Dior, Carlos Miele e muitas outras grandes grifes, ela conserva uma humildade que é dificil de encontrar no fashion business. Já quero ela de volta aqui.
Pra finalizar o post, as fotos do look que desenvolvi, com a super parceria de Davi Lopes. A proposta, idéia do Davi, era fazer um look inspirado nos peixes. Isso explica os detalhes laterais, que remetem as nadadeiras e barbatanas desses animais. Gostaram?! Nós ficamos mega felizes com o resultado.



Por hora é só. Aguardem mais posts sobre os desfile e, principalmente, sobre o que vai rolar hoje no último dia de DFB. Abraços!

Fotos: SENAC, DFhouse e Pedro Oliveira
3

Concurso dos Novos Talentos: 2º Dia


O segundo dia de Concurso dos Novos foi repleto de boas surpresas. Os estudantes novamente mostraram que se dedicaram realmente aos seus projetos, apresentando produtos de alta qualidade de alto valor criativo. Vamos às análises individuais.
A primeira a desfilar nesse dia foi Faculdades Nordeste (FANOR), com o tema 'Areias que inspiram sonhos'. Em se tratando de homenagear o Ceará, nada melhor do que inspirar-se em nossas praias e em nossa faixa linorânea, não é?! Dessa temática, imaginamos dunas, movimentos causados pelo vento, coqueiros e afins. Deu até vontade de tomar uma água de coco na beira do mar.


Deixando a brincadeira de lado, a coleção trouxe tecidos leves e acetinados, saias amplas e, principalmente, estruturadas, plissados, corsets, num trabalho de Hand Made bem bacana. Na cartela de cores, o bege predominou, mas teve a presença dos alaranjados e muito colorido num trabalho que lembrou aqueles tapetes do interior feitos com retalhos de malha.

O segundo desfile foi da Faculdade Federal de Minas Gerais (UFMG), com o tema "Impulsos Orgânicos". Uma coisa é certa: esse arrancou o suspiro da galera que estava na platéia. Tudo estava muito perfeito, desde a make até o sapato das modelos (acho que foi umas das únicas equipes que se preocupou em fazer um sapato tão caracterizado com o tema proposto).


Fora isso, looks, que mais pareciam pedaços de pântanos por cima das modelos, deram uma dramaticidade muito boa para a apresentação. E, detalhe, praticamente toda a coleção foi desenvolvida com restos de algodão que sobram e que vão para o descarte da indústria da moda, conhecido como mata borrão. Tudo impecavelmente trabalhado, com um mix de cores que lembravam estampas florais, recortes bem elaborados e algumas looks com espaços vazados.

O terceiro desfile da noite merece um grande reconhecimento. Talvés nem um outro tenha sido tão perfeccionista em termos de modelagem e montagem bem executadas. A Universidade Federal do Piauí (UFPI) mostrou que criação sem modelagem não é quase nada.


Com criações simples, mas muito bem feitas, os estudantes deixaram o ar do concurso menos teatral e com uma tendência mais forte para o lado comercial. Nada de looks com estruturas de ferro ou com materiais não utilizáveis (no quesito ergonomia), mas sim peças leves, com recortes que porporcionaram um bom caimento junto ao corpo. O tema do desfile era "Novas portas para Guernica", em alusão a tela de Pablo Picasso. Daí, tira-se a linda cartela de cores, com a predominância do preto, vermelho, azul e cinza, e as chaves utilizadas como acessórios nas peças apresentadas. Detalhe também para os zípers a mostra (bem grandes e geralmente nas costas) e para o plástico, substituindo tecidos como a organza e o chiffon.

O último desfile foi o da Faculdade Católica do Ceará (FCC) e atraiu um legião de fãs para dentro da sala de apresentação. Com o tema "Mulheres Cabaças", a instituição mostrou que realmente investe nos talentos do seus criadores.

Diferentemente dos outros trabalhos mostrados, creio eu, os estudantes optaram por deixar o hand made de lado e usaram muitos recursos mais 'elaborados', como, por exemplo, a técnica de corte a lazer para faze uma espécie de macro-renda em algumas peças. Juro que prefiro o hand made, mas não posso mentir e dizer que não gostei do desfile. Em síntese, a coleção foi muito bem pensada, com elementos de estilo super bem trabalhados e com uma execução impecável. A trilha sonora foi super animadora (ao som de Dog Days Are over) e a make estava bem forte. Na cartela de cores, presença forte do off-white, do marrom e do dourado, com, inclusive, aplicação de pedraria dessa cor.

A disputa está ótima, não acham?! Amanhã, quase no encerramento do evento, saberemos que será a grande equipe vencedora desse ano. Mas uma vez, PARABÉNS a todas. Também com esses desfiles, vimos que trabalhar sob a óptica da sustentabilidade e com artesanato dá super certo, basta a gente quebrar os velhos paradigmas que impõem a moda realizada fora do Brasil (e, com isso, fora de nossa cultura) como a mais bonita e interessante. Digo e repito: valorizemos o que é nosso. Abraços!

2º Dia de DFB: Emocionante!


Depois de um dia inteiro de corre-corre, não tive, confesso, muita paciência para ver todos os desfiles previstos para hoje. não porque eu não goste do trabalho dos estilistas, mas é porque eu estava (e estou) bem cansado desses dias inteiros no Centro de Convenções.
Enfim, a vida é feita de escolhas. Isso é fato. Descidi escolher ver as apresentações dos designers que mais me chamaram a atenção no ano passado. E (posso dizer??!!) não me arrependo. Vamos lá.

Conexão Solidária - por Lindeberg Fernandes



Quando me falaram da parceria entre o Lili (como é conhecido por muitos que o conhecem) e a Conexão Solidária pensei: "pode se preparar, Pedro Oliveira, daí vem coisa boa". E o histórico do estilista não me deixa mentir. Famoso por utilizar o que a de melhor no nosso patrimônio cultural, ele, como poucos, sabe unir design de qualidade a peças que fazem parte do nosso cotidiano nordestino. Lendo o release da coleção, vi que o que pensava se tornaria realidade. O que dizer de uma pessoa que viaja por quase todos os estados nordestino procurando o que há de melhor do artesanato de cada local? O que dizer de uma pessoa que se despi dessa imagem glamourosa do mundo da moda e dá espaço para que as próprias artesãs recebam o merecido reconhecimento pelo seus trabalhos? Lindeberg, ou Lili somente, é sim pra mim 'o cara' da moda aqui de Fortaleza. E não pensem que isso é 'puxa saquismo'. Vamos dar a César o que é de César, não é??!
Enfim, sem mais delongas, a coleção realmente estava espetacular. A cartela de cores (rosa, azul, laranja, terrosos, etc), fincou as raízes na cultura nordestina, remetendo-nos ao interior, a roupa feita pelas avós, com crochês, richiliês, rendas e bordados (muitos bem trabalhados). Utilizando de uma alfaiataria bem peculiar da região, o estilista optou pelas camisarias masculinizadas, saias desconstruidas, shorts curtos, decotes em 'V', tanto para os homens quanto para as mulheres, sendo que para essas esse decote aparece nas costas. A coleção foi, por si só, um misto entre religiosidade, lembranças sertanejas e a feminilidade encontrada no sertão nordestino. Feminilidade essa encontradas nos looks que remetiam as camisolas, com detalhes de renda e com mangas bufantes presas ao punho. Tudo muito bem executado. Tudo muito lindo. Sem contar com a trilha sonora, super alegre e a cara do nosso estado. Muita emoção ao final do desfile, quando entraram todas as representantes dos grupos de artesãos com os quais o estilista trabalhou. Enfim, PARABÉNS, Conexão Solidária. Mas uma vez, foi mostrado que o artesanato e nossa cultura não é brega e nem somente item de decoração de turistas. Inspiremo-nos nesse trabalho e tentemos dar uma cara nova ao que é nosso por direito.

Melk Z-da


O segundo (e último) desfile escolhido do dia foi o do estilista pernambucano Melk Z-da. Novamente, ele que sabe fazer o que se propõe a fazer com esse desfile (que já tinha apresentado na Fashion Rio desse ano). Então, nada de grades surpresas. Mentiria se dissesse que não gostei. O fato é que a coleção, inspirada na ilha de Fernando de Noronha, está super bacana, com muito trabalho de texturas, brilhos, pedrarias, plumas, descontrução de peças, simetria e assimetria e zípers. Aliás, muitos zípers, que foram montados em tecidos leves (creio que chiffon), remetendo a essa dualidade do leve com o pesado. Na cartela de cores, desde o branco, passando lindamente pelo off-white, amarelo, cinza, azul, alaranjado até chegar no preto clássico. Muito bom o trabalho com estruturas, tanto (e principalmente) nas mangas como em vestidos e blazzers. Enfim, um desfile lindo, de, como se diz por ai, encher os olhos. Ah, detalhe também para algumas peças que, se eu não me engano, ganharam uma nova 'roupagem' das que foram apresentadas no Fashion Rio. Quer ver? Compare AQUI!

Fotos: DFhouse
0

Concurso dos Novos Talentos: 1º Dia


Como chegar em casa e conseguir dormir tranqüilo sem passar um pouco das várias emoções vividas (e sofridas) no segundo dia de Dragão Fashion. A labuta começou bem cedo, com algumas palestras super interessantes, sobre Visual Merchandising e a Valorização de Marcas pelo LyfeStyle dos clientes. Enfim, foi muito bacana, mas esse não é bem o foco do desse post. Prometo passar tudo, tin tin por tin tin, o que os palestrantes brilhantemente falaram no Dragão Pensando Moda desta quarta-feira.
Pra agora, o assunto é o primeiro dia de concurso dos novos talentos. Confesso que estava super nervoso, pensando na coleção que as meninas da Universidade Federal do Ceará iria apresentar. Mas, respirei fundo e fui ver dignamente os desfiles.
O primeiro apresentado foi o da Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí (NOVAFAPI), com o tema Formas em Movimento.

Um trabalho bem interessante com looks em cores terrosas, utilização de juta (em acessórios, principalmente nos calçados), tecidos acetinados, ombros marcados e alguns recorte bem bacanas. Inspirados nos movimentos encontrados na elaboração de cerâmicas, a proposta era falar um pouco do trabalho do artesão, tanto no momento da inspiração como no próprio momento de execução do trabalho.

O segundo desfile foi o da Universidade Paranaense (UNIPAR), com o tema Fashion Scavengers.


Os estudantes propuseram uma viagem aos diversos tipos de trabalho artesanal, utilizando, obviamente, diferentes técnicas e tecidos para a execução das peças apresentadas. Vimos desde a estopa, num lindo casaso invernal, até o crochê e o fuxico complementando alguns looks. A cartela de cores foi bem alegre, indo do puro branco até cores mais fortes, como o laranja, o verde limão e o azul. Bacana também a utilização do jeans em uma calça saruel bem despojada.

O terceiro desfile foi o do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP), que trouxe para a passarela um trabalho em patchwork bem executado em todas as peças mostradas. Utilizando da técnica conhecida como Crazy (pegar vários tipos de retalhos e ir montando-os indiscriminadamente), a equipe confeccionou peças estruturadas, que lembravam um pouco o trabalho com origamis. Complementando o desfile, saias amplas, saias mais justas, shorts coloridos e transparências.


E eis que chega o momento do último desfile desse dia de concurso. Com nervos a flor da pele e uma platéia entusiasmadíssima, a Universidade Federal do Ceará (UFC), mostrou a coleção Lixúria, uma viagem na vidas das cortesãs do século XIX com um olhar sobre a renovação que pode ser obtida com o uso de materiais que normalmente são jogados no lixo. Não deu outra: um coleção bem organizada, super atenta a complementariedade dos looks apresentados e com um trabalho e hand made super detalhado.


Do lixo se fez luxo e disso encontramos aros de bicicleta dando a estrutura de saias, paêtes bordados feitos de garrafas pet e muitos outros materiais reciclados. Na passarela, mulheres poderosas, com olho e bocas marcadas, com a elegância e a sensualidade dos corsets. Na trilha, um som um tanto quanto nostálgico. Na platéia, uma galera super vibrante com o trabalho apresentado. Enfim, uma bela e emocionante coleção.

Parabéns para as equipes. Muito bom ver a galera se esforçando e mostrando um bom trabalho na passarela. Amanhã tem a segunda etapa do concurso. Vamos esperar para ver no que é que dá. É preciso falar a minha preferência? Não, né?!! (risos).

DFB 1º Dia: Reutilizar, Recriar, Reciclar.



Vários poderiam ser os adjetivos que eu poderia utilizar para descrever o primeiro dia do 3º maior evento de moda do Brasil. Por enquanto, eu me permito utilizar a tríplice aliança da sustentabilidade para dizer um pouco do que eu vi entre os 'corredores' do Centro de Convenções do Ceará.
Propondo-se a falar de Artesanias, o Dragão Fashion Brasil, vestiu realmente a camisa e explorou ao máximo as produções artísticas e culturais de nossa região. Pra onde olhamos, vemos um pouco da identidade nordestina, seja nas gaiolas, nos chapéus de palhas, nos cipós que ornamentam a praça de alimentação ou que se fazem presentes na mobilia espalhada pelo local. Pelos comentários que ouvi, a decoração do espaço é umas das melhores dos últimos anos, prezando, em cada canto, pelos princípios da Sustentabilidade. É incrível o trabalho com caixas de ovos, restos de palha, etc.



Começamos o primeiro dia com algumas palestras super interessantes. Abro aqui o espaço para parabenizar os organizadores do stand da Universidade Federal do Ceará pela movimentação dos estudantes e pela organização de palestras e debates no local.


A primeira palestra foi nesse espaço, onde Erika Gumarães, especialista em Design e Marketing, falou um pouco sobre como deve-se proceder no momento criativo e sobre seu trabalho na área de pesquisa de tendências.
A segunda palestra, já, diga-se de passagem, bem atrasada, foi com a Camila Toledo, da Elle, que falou sobre as tendências de moda para o verão 2012. Não vou tratar muito sobre essa aqui, pois quero fazer um post especifico para ela, ok??!!!
Partindo direto para os primeiros desfiles do evento, vi somente os três primeiros. O cansaço foi grande e vi que não daria para continuar com um bom rendimento nas análises. Vejamos:

Jonathan Gurgel


Jonathan, jovem estilista filho da terrinha do sol, famoso já pelo seu trabalho com modelagens bem executadas, inspirou-se em um de seus poemas para a construção de seu desfile. Nas entrelinhas, vimos uma viagem do estilista pelas suas lembranças. Nos looks, quase sempre com drapes, laços e tecidos em cores nudes e claras, vimos uma mulher simples, feminina, inocente, o que pode ser arrematado pela utilização de tule com, digamos, poá. No vôo do passarinho em busca de seu ninho, destacamos as plumas, o rosa clarinho, o lilás, o azul bebê, tecidos acetinados, malha e alfaiataria. Tudo junto e bem misturadoao som dos passarinhos que compuseram a trilha sonora. Com o desfile, o jovem, participante do recente concurso da MTV, mostra muito do seu trabalho e que tem um belo caminho para trilhar na sua vida de estilista e poéta.

João Sobarr


Confesso que esse era o segundo desfile mais esperado por mim dessa noite. Com o tema "Maria Josephine Bonita", joão faz um paralelo entre a feminilidade/sensualidade da mulher de classe abastada com a mulher guerreira, forte e destemida do sertão. O resultado não deu outro: looks bem femininos, mas com uma 'pegada' bem marcante, com muitos recortes (bem executados, aliás) e com um make que proporcionou esse olhar 'duo' do gênero feminino. Na cartela de cores, vimos desde o branco, passando pelos tons terrosos e indo parar no bom e velho preto, enrriquecido de brilhos e pedrarias. Também nesse desfile, presenciamos a utilização, ainda um pouco inocente, das plumas e de uma alfaiataria primando pelos decotes em 'V' e pelas costas nuas. Na mistura entre tecidos leves e pesados, o crochê deu o ar da graça, arrematando a peça.

Mark Greiner


O último desfile que eu vi não poderia ser melhor (ou poderia? não sei!!). Mas, de fato, esse foi o desfile que mais chamou a atenção do público. Mark Greiner já é famoso pelos seus desfiles espetáculos e por sua dramaticidade na execução dos modelos. Então, não esperava que fosse diferente.
Mark trouxe para a passarela mulheres fortes, guerreiras, destemidas. Mulheres do Velho Oeste que carregam consigo o estigma de heroínas. Porém, até essas mulheres tem fraquezas, sensibilidades e emoções. Assim, também nesse paralelo entre o ser forte e fraco (sentimental), vimos looks com elementos caracterizam essas duas faces da mesma moeda. De um lado, transparências, tranças, dourados, metalizados e assimetria. De outro, o couro sintético, a alfaiataria masculinizada, os recortes fortes, as texturas e estampas que imitavam a pele de cobras. Tudo lindo, num clima de 'bang-bang' criado para deixar tod@s de queixos caídos. No final, para fechar o seu desfile com chave de ouro, Grainer mostrou uma retrospectiva de todo o seu trabalho como estilista, o que pode ser visto durante todos dos dias do evento no espaço entitulado "Fashion N'love".
Por hoje é só. Lamento bastante não ter acompanhando os outros desfiles, principalmente o da Mar del Castro. Sempre gosto do que vejo, além de adorar a trilha sonora das apresentações que os irmãos Castro fazem. Mas, enfim, tenho que descansar e me preparar para o segundo dia. A batalha está só no começo. Até!


Fotos: DFHouse
0

Processo Criativo

Bom dia a tod@s. Cá estou nesse domingo frio e nublado, quebrando a cabeça no desenvolvimento de uma coleção. Ainda não posso adiantar nada sobre, mas o resultado está ficando bacana.
Nesse interím, algumas pessoas tem me ajudado no processo criativo. Nada melhor do que uma boa música para fazer as coisas fluírem melhor, não acham??!!!
Então, ficam aqui algumas dicas bacanas para você que quer (e precisa) de algo inspirador para inspirar-se:





Vamos animar o espírito que essa semana tem Dragão Fashion Brasil e a correria vai ser bem grande. Estava olhando minha agenda da semana e vi que a coisa não vai ser nada fácil. Mas, enfim, vamos lá. Vai dar certo. Bom domingo, bom inicio de semana e bom processo criativo.
Ah, aguardem, a partir de terça, você fica sabendo de tudo o que está acontecendo lá no DFB. Fique de olho aqui no Movimente. Abraços!
0

LYCRA® Future Designers 2011


E a temporada de concursos não para. Foi lançada ontem a terceira edição do Lycra Future Designrs, que vem cheia de novidades esse ano. A começar pelo segmento que será abordado nas criação.


As edições passadas foram mais restritas nesse quesito, mas esse ano 'a parada' está mais abrangente. Além da moda praia, os trabalhos poderão ser feitos no jeanswear e swinwear (lengerie). Bacana, não é? Eu acho que abre mais o leque de opções e de pessoas (com suas referidas especialidades).


Ainda não li direito o regulamento, mas só posso dizer uma coisa: a premiação é uma super viagem à França para a participar da Première Vision Pluriel, uma feira super importante no quesito tendências de moda. Mãos à obra. Saiba mais no SITE do concurso

0

Japão por Hussein Chalayan


O mestre da moda tecnológica dar o ar da graça em mais uma coleção. Dessa vez, inspirada no japão (tanto o coleção de inverno, como a de verão), Hussein faz uma viagem ao país propondo uma visão mais surrealista da vida japonesa. Sakoku, tema da coleção, quer dizer "país bloqueado" e trata das particularidades da política e da cultura do Japão.




A coleção, como sempre, está muito bem executada, com modelagens que fogem totalmente do convencional e que nos despertam para esse mundo mais fantasioso onde habita Chalayan. Começando com um ar mais austero, marcado pelos tons de preto e grafite, a coleção vai, pouco a pouco, ganhando um ar mais primaveril, com tecidos esvoaçantes, transparentes, coloridos e com estampas florais.


Tomando de emprestimo algumas frases de Clarisse Lispector, essa coleção de Haussein esta calma, serena, alegre, plenitude sem fulminação, bem a cara do povo japonês, que, mesmo diante de tanto desastre, consegue superar sua dor, agindo tranquilamente, reflexo, creio eu, de sua cultura mais espiritualista.

0

O Trabalho por trás das Etiquetas*


Aposto que muit@s de vocês ainda não pararam para pensar de onde saem as roupas utilizadas por você. Pare agora mesmo e veja a etiqueta da sua blusa, do seu short, calça e afins. E aí, de onde eles saíram? Foram feitos aqui no Brasil ou em algum lugar escondido nos confins do continente asiático?


Essa discussão não é nada nova, mas ainda hoje desperta a atenção de muitos desavisados. Muitos trabalhadores (homens e, principalmente, mulheres) são explorados a cada segundo nas indústrias têxteis ao redor do mundo. As mulheres e as crianças, sem dúvida, são as maiores vítimas desse descaso, devido às péssimas condições de trabalho e os abusos sexuais sofridos pelos patrões.
Esse debate tem muito pano pra manga e abre espaço para discussão de vários outros temas importantes, como desigualdade de gênero, políticas trabalhistas, etc. Mas, por enquanto, quero que vocês apenas dêem uma olhada no trailer do documentário China Blue, dirigido por Micha Peled e lançado em 2005 . Nele, uma jovem trabalhadora de uma fábrica de jeans compartilha seu dia-a-dia e sua luta para conseguir seis centavos por hora de trabalho. Depois de assisti-lo, tenho certeza que seu padrão de consumo irá sofrer alguma alteração, nem que seja a menor possível.


Aproveite a página do youtube e assista o documentário por completo. Ele não é muito longo. Dá super de boa para vocês verem. Depois de vê-lo, a gente pode trocar mais idéias sobre isso, ok?! Boa segunda-feira!

*O trabalho por trás das etiquetas é um dos títulos do livro Eco Chic: o guia de moda ética para a consumidora consciente, da jornalista inglesa Matilda Lee.
0

Karina Buhr: Música, Make Up, Cultura.


Inteligente, irreverente, simpática, alegre. Eu poderia passar o resto do domingo adjetivando a cantora e percusionista Karina Buhr. Nascida em Salvador, mudou-se para o Recife aos 8 anos de idade. Seu trabalho com música está inserido em uma massiva luta pela valorização da cultura nordestina, notadamente o maracatu, tendo como inspiração o trabalho do mestre Chico Scense e Nação Zumbi.
Confesso que ainda não tinha parado para escutar o trabalho dela. Vi até umas entrevistas, mas não me interessei muito. Mas esse final de semana essa situação se inverteu. Assisti um programa que ela fez com o Arnaldo Antunes, com a Céu, dentre muitos outros, e me apaixonei.
Como não gostar dessa voz, da melodia e da Make Up alegre dessa nova (ou não tão nova assim) aposta da música popular brasileira? Muito bacana essa mistura entre cores fortes (principalmente criticas) e brilhosas nos olhos com uma pele nude.



Agora, estou eu cá fazendo download do seu cd "Eu Mentiria Para Você", que ela disponibilizou (diva) em alguns sites no dia 1º de abril (dia da mentira). Se você se interessou pelo trabalho dela, clique AQUI e faça já o seu down também. Se você tem atitude e gosta de dar uma inovada no 'visú', aposte também nesse tipo de maquiagem. Tenho visto muito disso nas baladas, mas confesso não tenho gostado muito. As pessoas costumam exagerar demais, marcado olhos, boca, etc. Tente se concentrar em um ponto do seu rosto e dê uma valorizada nele.

Confira um pouco do trabalho da Karina no vídeo abaixo. Nesse, ela não apostou numa make mais alegre, até porque não era muito condizente com a música. Mas ela manteve o mesmo foco nos olhos e deu um ar mais invernal a make.


Um ótimo inicio de semana para tod@s, com ou sem a música da Karina. Abraços!
0

Bazar das 6

Esse fim de semana realmente promete. E começa hoje com o show do Nando Reis na Biruta (muita inveja de quem vai poder ir). Mas e amanhã, você tem alguma coisa pra fazer? Se não, vale super a pena dar uma passada no Bazar das 6, para conferir, além de muita arte, música boa e moda de qualidade, o lançamento da marca da querida Yáskara Ferreira, as criações lindas da Adelita, as estampas lindíssimas do Ségio Gurgel e muito, muito mais.


Não deixe de participar. Abraços e Bom FDS!
2

Pasmaceira, nunca mais 2


Bom, passando aqui rapidinho só para falar de dois encontros que prometem sacudir a galera ligada à moda e ao design esse ano. Bom, acho que quase tod@s já sabem do que estou falando, mas não custa nada dar mais uma lembrada.


Em julho, acontecerá no Rio de Janeiro o 21º Encontro Nacional de Estudantes de Design, mas conhecido como NDesign. A proposta do evento (NRio 21) é trazer uma discussão sobre a categoria, tendo em vista que muitos profissionais ainda não conhecem as diversas possibilidades e campos sua atuação, não respondendo, assim, as demandas do mercado Além disso, esse espaço será super interessante para troca de experiência entre pessoas de cursos diferentes e uma oportunidade ímpar para quem gosta de participar de oficinas, palestras e coisas afins. Então, marque ai na sua agenda: o evento acontecerá entre 24 e 31 de julho. Para saber mais (como participar, datas importantes, envio de trabalhos acadêmicos, etc., clique AQUI e explore um pouco o site do NRio, que, por sinal, já está bombando. Ah, ia esquecendo, para quem se interessa em participar, existe uma comissão de organização que está pesquisando passagens, hospedagem e coisas do gênero, com o intuito de levar uma delegação daqui do Ceará para 'botar quente' lá na cidade maravilhosa. Fique por dentro das novidades pelo facebook da delegação 'Bosimbó'.

"NDesign é contato, é troca, é experiência, é a constante renovação de conceitos, é a incessante busca por superações pessoais, um ambiente favorável e criativo 24 horas por dia." (Organização do NRio 21)


Outro encontro super bacana que vai acontecer é o 7º Colóquio de Moda, espaço mais destinado aos temas pertinentes aos fashionistas. O mesmo será sediado em Maringá (Paraná) entre os dias 11 e 14 de setembro e tem a proposta de ser um evento de discussão de pesquisas acadêmicas relacionadas à moda. Para quem se interessa nisso, as inscrições para apresentação de trabalho já começaram e irão até o fim de maio. Acho que nem é preciso falar da importância de eventos como esse para o fortalecimento do profissional (e para a profissão) de moda, né?!!! Então, arregace as mangas e comece a pensar em algum trabalho para ser apresentado. Além de conhecer muita gente (muita mesmo), você tem a oportunidade de melhorar bastante o seu currículo acadêmico. Para mais informações, visite o Blog do evento clicando AQUI. Mão à obra, JÁ! Abraços.


Música para Lavar a Alma


Que eu adoro Cartola tod@s já sabem, não é?!! Acho perfeitas as canções, as melodias e a poesia expressa em cada letra do grande mestre Angenor de Oliveira. Mas, e se as canções dele recebessem a sutileza, a extravagância e a interpretação do grande Ney Matogrosso? Uma união no mínimo incrível essa, não?!


Pois é, há algum tempo eu estava procurando umas músicas do Cartola na internet e achei esse MAGNÍFICO Cd do Ney, onde ele faz uma homenagem ao grande poeta fundador da Estação Primeira de Mangueira, cantando Sim, O Sol Nascerá, Peito Vazio, O Mundo é um Moinho, Amo Proibido, dentre muitas outras.


Para quem se interessou e gosta de ambos os gênios da música supracitados, o download está disponível clicando AQUI. Abraços!

3º Concurso Sinditêxtil - 2011


Mais um concurso se aproxima para movimentar o cenário fashionista cearense. Na sua 3ª edição, o Concurso Sinditêxtil de Costura, Modelagem e Design vem cheio de novidades. A primeira, e acho que uma das maiores, é a inclusão do Brasil Fashion Designers Nordeste. O que isso quer dizer?
Eu também fiz essa pergunta, mas é simples: antes a categoria design era concorrida somente por estudantes de moda cearenses. Nesse edição, a participação será estendida para estudantes de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Achei a proposta super bacana, pois haverá, creio eu, interação entre as culturas de cada Estado. O tema desse ano será "Opará - Rio Mar, Meu Velho Chico" em alusão ao grande Rio São Francisco. Quem se interessa nessa categoria já pode arregaçar as mangas e começar suas pesquisar.
Outra super novidade é a categoria Blogueiro de Moda, que, diferentemente da anterior, será disputada só por estudantes daqui da terrinha do Sol. As outras categorias (modelista e costureira) permanecem como nas edições passadas, se eu não me engano.
E a premiação??? Querid@s, esse ano o evento veio realmente com tudo. O prêmio para o vencedor na categoria Design será, nada mais nada menos, do que uma viagem para Berlim, para participar da Bread&Butter (babem!), além de uma licença do Audaces Idea Full. O ganhador como Blogueiro de Moda, receberá, durante 1 ano, R$ 500,00 par manter o blog em funcionamento, seguindo algumas regrinhas básicas (ver edital). Já os ganhadores na categoria de Modelagem e Costura ganharão R$ 3.000.

Para saber mais detalhadamente como se inscrever, o processo seletivo, a premiação e afins, clique AQUI e veja o edital. Não perca essa chance. Participe! Essa é uma grande oportunidade para você mostrar seu trabalho e divulgá-lo. Abraços!
0

Moda, Identidade e Afirmação.


Hoje, tive uma prova bem interessante na para o Programa de Educação Tutorial do curso de Design de Moda da UFC. Não sei como me sai (o resultado só sairá na quinta-feira), mas os temas trazidos na avaliação são bem legais e super pertinentes com a proposta do Movimente e Pense.


Para dar suporte aos estudos, as orientadoras sugeriram dois textos que traziam, em sua essência, as mudanças ocorridas na sociedade e como essas foram significativas para os processos relacionados à moda.
Como base neles e nos teóricos que alicerçaram a suas escritas, o surgimento da moda está estritamente ligado às inovações tecnológicas, sociais e culturais promovidos pela revolução industrial. Outros autores apontam os séculos XIV e XV como os períodos históricos em que o fenômeno da moda começou a despontar na sociedade européia, notadamente a italiana e a francesa.
Esse fenômeno cultural estabeleceu-se quando o processo de produção do vestuário ganhou mais impulso, havendo uma "democratização" na aquisição de peças de roupa, devido basicamente aos preços, que se tornavam mais acessíveis. A partir desse momento, as classes menos abastadas, tendo mais condições de adquirir alguns produtos, começou a imitar os padrões de consumo das classes mais ricas. Nesse processo (imitação/diferenciação), os ricos procuravam diferenciar-se buscando novos produtos que demonstrassem sua superioridade.


Ver-se, nesse contexto, uma maior consumo de bens (roupas, acessórios, etc.) que eram utilizados para ostentar, dividir classes sociais e mostrar a identidade (status) social do indivíduo.
Porém, com a evolução sócio-cultural do século XX, esse fenômeno alterou-se, havendo a fragmentação da sociedade. A moda, nesse contexto, foi utilizada a serviço de indivíduos que buscavam unir-se por seus estilos e concepções de vida. A noção de classe social foi deixada de lado e os gostos individuais foram exaltados, favorecendo o aparecimento de grupos sociais (tribos). Esses buscavam, na sua grande maioria, diferenciar-se dos padrões ditados pelos ritmos da moda.


A moda também foi (e ainda é) utilizada para distinguir gêneros. No passado, as mulheres, principalmente de classes ricas, utilizavam roupas que mostravam sua condição social: a de reprodução. Como não trabalhavam, as roupas utilizadas adornavam a mulher, trancafiando-a dentro dos limites impostos pela sociedade patriarcal. Já os homens eram ligados à produção e procuravam estabelecer isso em suas roupas, quase sempre austeras e práticas, que possibilitavam o trabalho. Porém, essa condição mudou ao longo dos anos. A mulher passou a reivindicar seus direitos e entraram massivamente no mercado de trabalho. A moda, lógico, acompanhou esse mudança, favorecendo um vestuário mais condizente com os novos anseios femininos.
Em suma, a moda é um fenômeno sócio-cultural, servindo, portanto, para diferenciar os indivíduos, estabelecendo estilos, preferências e identidades pessoais e sociais. A moda é um reflexo do contexto social em que o indivíduo está inserido. Esse processo ainda pode ser classificado como psicológico, na medida em que proporciona a pessoa mostrar-se para os outros utilizando de meios simbólicos para isso.

Referências:
CRAINE, Diana. A moda e seu papel social. Cap. 1 Moda, identidade e mudança social. São Paulo, SENAC, 2006.
GODART, Frédéric. Sociologia da moda. Cap. 1 Afirmação: moda entre o indivíduo e a sociedade. São Paulo, SENAC, 2010.

Imagens: Reprodução
Back to Top