Pages

0

Semana de Moda de Paris - Continuação

Estamos no segundo dia de desfile na Terra da Luz. Muita novidade deu o ar da graça até o presente momento. Ontem, postei algumas informações básicas do 1º desfile divulgado pelo site da vogue francesa, que se tratava do desfile do estilista Alexis Mabille, que trouxe muita renda e brilho e pouca cor para a passarela, ressaltando a alfaiataria, que em algumas peças foi bem tradicionalista.

Hoje, trataremos dos desfiles da Stéphane Rolland, Christophe Josse, Christian Dior, Alexandre Matthieu (1º dia), Giorgio Armani e Christian Lacroix (quentinho... 2º dia)

O desfile da Stéphane Rolland agradou-me demasiadamente. Além de trazer no desfile praticamente todo detalhes da alfaiataria, a mesma trouxe várias propostas interessantes para uma alfaiataria mais contemporânea, com modelagens bem legais, bem como, també, vestidos luxuosos. As cores predominantes em toda sua apresentação foram o branco (perolado), o preto, o cinza e os tons terrosos. Vale destacar a utilização de volumes (bem leves, diga-se de passagem) e ombros bem marcados, parecendo aquelas ombreiras utilizadas pelas nossas avós.




Outro destaque do primeiro dia de desfiles foi a apresentação do estilista Christophe Josse, que mostrou vestidos longos (enormes e brilhantes) de festa, bem como também vestidinhos curtos e com designer bem dipojado.Ah! Ia esquecendo. Cores fortes, bem fortes mesmo. Apenas uns dois looks com tons claros desfilaram para a Josse



A Dior trouxe muita novidade para essa estação, principalmente no que diz respeito a cartela de cores. Ao contrário do que já tinha sido mostrado pelos outros participantes, o estilista, john Galiano, optou por fazer looks com cores mais vibrantes, algumas até citricas, tais como o verde e o amarelo. Outro detalhe importante dessa coleção pode ser notado na silhueta bem marcada utilizada nos vestidos. Resumindo... muita extravagância, muita cor, muita estampa ("Animalesca"), chapeus enormes, volumes, etc. fazem parte da coleção mostrada pelo estilista.




Para a Alexandre Matthieu as coisas mudam um pouco. em vez de vestidos longos, até então vistos nas outras apresentações, vemos agora a a prendominância de looks bem mais curtos e com tons mais claros, tais como o branco. Outra coisa: até agora tinhamos visto muita alfaiataria, mas para a Adeline a tendência é um prèt-à-porter clássico e elegante.




Passando agora para o segundo dia, comecemos por analisar o desfile do Giorgio Armani. O estilista trouxe para a passarela traços marcantes dessa nova tendência: utilização de estampas com motivos africanos, "animalescos". O que pôde-se ver foram peças bem estruturadas, com um pouco de brilho, transparências na medida certa e muita sobriedade (coisas da alta costura). Nada, mas nada mesmo, de coisas estravagantes, o que é um milagre, tendo em vista a sua inspiração.




O desfile da Lacroix atraiu a atenção de todo o mundo fashionista, até poque a marca está prestes a declarar falência. tudo conseguido para a elaboração do desfile foi resultado de muito trabalho e esforço do estilista, que contou com sobras de tecidos e ajuda financeira de patrocinadores. Mesmo assim, pôde-se ver uma elegância muito forte nas peças e na modelagem desta marca, trazendo para a passarela tons escuros, muito tecido, um pouco de brilho, alfaiataria contemporÂnea e alguns looks com silhueta marcada. A maquiagem discreta e a utlização de turbantes foi, também, uma constante nessa apresentação.
Vamos torcer para que a marca possa resistir a ese período dificil e possa continuar produzindo peças tão bonitas e elaboradas.




Amanhã temos mais algumas coisinhas...
Fiquem ligados!

0 Gostou? Comenta Aqui!:

Back to Top